Notícia

Família faz apelo para recuperar carro roubado na Serra

O veículo, um Santana Quantum, de cor vinho, que foi levado durante um assalto, é usado para transportar uma jovem cadeirante para sessões de fisioterapia

Santana Quantum levado da família, durante assalto na Serra
Santana Quantum levado da família, durante assalto na Serra
Foto: Divulgação

Uma família da Serra recorreu às redes sociais pedindo ajuda para localizar um carro levado durante um assalto, ocorrido na noite de sábado, no bairro Magistrado, na região de Jacaraípe, na Serra. O veículo, um Santana Quantum de cor vinho (placas MRJ 4197), é usado para levar uma jovem cadeirante ao médico e sessões de fisioterapia.

Dois bandidos armados, invadiram a casa das vítimas, por volta das 18 horas. No local, estavam o dono da residência, de 62 anos, a filha dele, de 30 – que é cadeirante – e uma idosa de 88, acamada.

As vítimas assitiam TV na sala quando foram surpreendidas pela chegada dos criminosos. A família foi trancada em um quarto, enquanto os assaltantes reviravam a residência em busca de dinheiro. Eles chegaram a jogar as gavetas de armários e guarda-roupas no chão.

Além do veículo, os suspeitos fugiram levando três televisores, um aparelho de DVD, celulares e mais R$ 1,2 em dinheiro. É o advogado da família, Carlos Eduardo Lyrio, quem fala sobre o caso. De acordo com ele, as vítimas estão assustadas com o crime e preferem não falar.

Segundo o advogado, durante a ação um dos bandidos chegou a atirar em direção ao chão, para amedrontar as vítimas. Ele afirma ainda que o caso já foi registrado na polícia. Porém, até agora, nem o veículo e nem os suspeitos foram localizados.

O prejuízo contabilizado pela família chega a R$ 25 mil. “O assalto ocorrido traumatizou imensamente a família, que se sente ameaçada. O carro, agora, é a maior preocupação porque era utilizado para levar a filha da vítima para tratamento”, disse Carlos Eduardo, em nota divulgada à imprensa.

Quem tiver alguma informação que ajude a polícia a localizar o carro, pode entrar em contato com o Ciodes, no 190, ou no Disque Denúncia, 181.

Ver comentários