Notícia

Resultado do DNA em ossada que pode ser de Thayná será divulgado hoje

A ossada foi encontrada 24 dias após o desaparecimento da menina. No local também foi encontrado um vestido de criança, semelhante ao que ela usava no dia do sequestro

Clemilda afirma ter recebido mensagens pornográfica de Ademir
Clemilda afirma ter recebido mensagens pornográfica de Ademir
Foto: Sullivan

A angústia de Clemilda Aparecida de Jesus, de 31 anos, pode terminar nesta segunda-feira (04). Depois de 25 dias, o resultado da análise da ossada que pode ser da menina Thayná Andressa de Jesus do Prado, de 12 anos, será divulgado nesta segunda-feira (04). A informação foi confirmada ao Gazeta Online pelo superintendente de Polícia Técnico-Científica, o delegado Danilo Bahiense.

"O resultado vai sair hoje, estamos terminando o laudo", disse Bahiense por telefone.

A ossada que pode ser da menina Thayna foi encontrada no dia 10 de novembro, em um brejo próximo a uma lagoa de Viana, na localidade de Areinha. De acordo com a polícia,  Ademir Lúcio Araújo Ferreira, de 52 anos, acusado de sequestrar a garota, usava aquela área para cometer os crimes contra as vítimas dele. No local também foi encontrado um vestido de criança, muito semelhante ao que Thayná usava no dia do sequestro.

A ossada foi encontrada 24 dias após o desaparecimento da menina. Na ocasião, com o material biológico de Thayná já coletado, a polícia encaminhou a ossada para a realização de um exame de DNA que vai apontar se o material encontrado é mesmo da filha de Clemilda. O prazo para a divulgação do resultado era de 30 dias.

Procurada pela reportagem do Gazeta Online, Clemilda recebeu a notícia com surpresa.

"Não estou sabendo de nada, não me disseram nada a respeito disso. Vou ligar para o delegado e pedir mais informações", comentou. 

DESAPARECIMENTO

Thayná Andressa de Jesus do Prado, de 12 anos, desapareceu no bairro Universal, em Viana, no dia 17 de outubro
Thayná Andressa de Jesus do Prado, de 12 anos, desapareceu no bairro Universal, em Viana, no dia 17 de outubro
Foto: Ruhani Maia

Thayná Andressa de Jesus do Prado, de 12 anos, desapareceu no bairro Universal, em Viana, no dia 17 de outubro. Ela foi vista pela última vez quando entrava em um carro após deixar um supermercado no bairro onde mora. Segundo investigações, o veículo pertence a Ademir Lúcio Ferreira de Araújo, de 52 anos. O homem tem passagens pela polícia e saiu da cadeia em dezembro do ano passado, depois de cumprir pena por homicídio. Ele é acusado de estuprar uma criança de 11 anos três dias antes do sequestro de Thayná. 

Depois de um longo trabalho de buscas, o Ademir foi encontrado pela polícia no centro de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no dia 13 de novembro, três dias depois que a ossada foi encontrada. A mãe da menina chegou a fazer diversos protestos na Grande Vitória como forma de pressionar as autoridades a descobrirem o paradeiro da filha e do sequestrador.

VÍDEO DO SEQUESTRO

ADEMIR CONTOU DETALHES DO CRIME

Ademir Lúcio Araújo Ferreira, de 55 anos, contou, em vídeo, após ser preso, detalhes do dia do crime. Durante a confissão, ele garantiu que o corpo da menina está dentro de uma lagoa em Viana.

Ele conta que, após a menina entrar no carro, dirigiu em direção à lagoa e parou o carro próximo ao local. De acordo com Ademir, em determinado momento ele convidou a menina para ter uma relação sexual, que negou.

Ademir é acusado de estuprar e matar a menina Thayná
Ademir é acusado de estuprar e matar a menina Thayná
Foto: Bernardo Coutinho

Foi quando ela saiu correndo do carro e ele não teve como alcançá-la. "Ela passou por um alambrado e foi correndo pela lagoa, e aí que eu vi ela afundando na água. A lagoa é funda, não deu para eu pegá-la. Não tinha como eu salvar ela, foi muito rápido", justifica.

 

 

Ver comentários