Notícia

Estudante baleado em Vitória diz que não viu rosto de bandido

Carlos Eduardo Cardoso ficou ferido na perna ao tentar correr do assalto que acontecia no ponto de ônibus. Suspeito de cometer o assalto foi morto

Estudante de publicidade baleado perto da Faesa, em Vitória
Estudante de publicidade baleado perto da Faesa, em Vitória
Foto: Manoel Neto | TV Gazeta

O estudante de Publicidade, Carlos Eduardo Cardoso, que foi baleado na perna durante uma tentativa de assalto perto da faculdade Faesa, em Vitória, na noite de quinta-feira (12), contou que não viu o rosto dos criminosos. Um dos suspeitos foi morto a tiros minutos depois e o outro está foragido.

O crime aconteceu por volta das 21h desta quinta-feira (12), na Avenida Vitória. A polícia ainda não informou detalhes sobre o crime, que está sob investigação. Um suspeito de assalto, identificado como Gabriel Gomes Dias, morreu e o estudante foi baleado. Ao lado do corpo de Gabriel, foi encontrada uma arma de brinquedo.

> Tiros, pânico e morte na Avenida Vitória

A polícia informou que aconteceu uma tentativa de assalto feita por dois criminosos em frente à faculdade. Segundo a polícia, o disparo que atingiu o estudante foi acidental. Sobre o tiro que matou Gabriel, a hipótese é de que o disparo tenha sido feito pelo próprio comparsa da vítima, também de forma acidental.

BALA ATRAVESSOU A PERNA DO ESTUDANTE 

Carlos Eduardo contou que a bala atravessou a perna dele, mas que já recebeu alta do hospital e está na casa de parentes. Ele disse ainda que não viu o rosto dos assaltantes.

“Eu saí da aula mais cedo e fui para o ponto de ônibus. Vi que duas pessoas anunciaram o assalto, corri e ouvi uns três disparos. Senti algo na minha perna e corri para dentro da faculdade. Lá me atenderam, me pediram para esperar o socorro e eu fui atendido. Não vi o rosto dos assaltantes e não sei dizer se era o que anunciou o assalto era mesmo que caiu morto”, contou.

Leia também

Carlos Eduardo contou que o local sempre foi perigoso para os estudantes. "Ali sempre foi muito inseguro, tem relatos de assalto. É triste saber que a gente não tem segurança na Avenida Vitória. Agora, a gente tem que voltar a estudar, mesmo com medo. Tem que voltar, tem que continuar", completou o estudante.

Na manhã desta sexta-feira (13), o corpo de Gabriel aguardava a liberação do Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. Familiares estiveram no local, mas não quiseram dar entrevistas.

No entanto, a irmã dele contou que Gabriel tinha saído da cadeia havia um mês onde cumpria pena por roubo. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Contra a Vida de Vitória.

RELATO

A estudante de publicidade Amanda Lobos, de 18 anos, é da mesma turma do rapaz que levou um tiro na perna. Ela contou que não chegou a ver a tentativa de assalto, mas correu ao perceber os tiros.

"O Eduardo estava caminhando na minha frente, eu estava indo para o estacionamento da faculdade. Fomos liberados da aula mais cedo, às 21h, e o normal é às 22h, então era um horário de pouco movimento na rua. Eu só vi na hora que o Eduardo começou a correr e passou voltando por mim, então ouvi os tiros e comecei a correr também, logo depois ele foi baleado", descreveu.

Amanda disse também que Eduardo relatou que viu a tentativa de assalto, e que por isso correu. Ela não viu de onde partiram os tiros contra o criminoso.

Por nota, a Faesa lamentou a situação de violência nas proximidades da faculdade e informou que o aluno foi devidamente amparado, socorrido, está fora de perigo e passa bem.

Ver comentários