Notícia

Assassino de empresária no ES diz que xingamento motivou ataque

Felipe Rodrigues Gonçalves disse à polícia que uma criança, no meio da rua, o xingou de "veado" e que isso motivou fúria

Felipe, que era morador de rua, foi preso em Vila Velha
Felipe, que era morador de rua, foi preso em Vila Velha
Foto: Carlos Alberto Silva

O assassino da empresária Simone Venturin, que foi morta após ser atingida por um vergalhão ao passar pela Avenida Champagnat, em Vila Velha, no dia 4 de maio, justificou que teria atacado a mulher após ser xingado por uma criança no meio da rua.

De acordo acordo com o inquérito, Felipe Rodrigues Gonçalves, também conhecido como "Alemão", disse à polícia que ele teria sido chamado de "veado" por uma criança que passava pela calçada e isso teria motivado a fúria dele.

A Polícia Civil concluiu o inquérito do caso nesta quarta-feira (16) e indiciou Felipe por homicídio triplamente qualificado, tentado, dano mediante violência e dado ao patrimônio público. 

VÍDEO MOSTRA ARREMESSO

 

 

HISTÓRICO DE AGRESSÕES

O homem que atirou um vergalhão e matou Simone Venturin Tonani, de 42 anos, tem um histórico de agressões e violência em Vila Velha. Outra empresária, de 48 anos, que prefere não se identificar, diz que quase foi estrangulada pelo mesmo morador de rua identificado como Felipe Rodrigues Gonçalves na última quinta-feira (3). Ele foi detido na noite desta sexta (4) e encaminhado para o presídio.

Leia também

Segundo a empresária, que estava sozinha, ela havia acabado de sair da casa em que mora, na Avenida Hugo Musso, na Praia da Costa, e estava parada em um semáforo com os vidros abertos. Quando percebeu que o acusado se aproximava olhando-a fixamente decidiu fechar as janelas do carro. "Mas a minha janela está com um problema e às vezes demora para receber o comando. Quando ele chegou, conseguiu enfiar a mão pra dentro do carro e tentou alcançar o meu pescoço", detalha.x

A vítima, então, ficou sem reação, mas os carros que também estavam parados no semáforo arrancaram, mesmo com o sinal vermelho, e ela decidiu fazer o mesmo. "E foi aí que ele tirou o braço. Mas eu não sei como ele não quebrou o vidro. A força que ele estava fazendo era impressionante", conta. "Eu fiquei muito abalada. Só queria chegar ao meu destino e tentar esquecer", completa.

A empresária ficou chocada com a notícia da morte da mulher de 42 anos na noite desta sexta-feira (4) e logo compara: "Poderia ter sido eu. Eu tive um livramento". Ela confidencia que o morador de rua já é conhecido pelos vizinhos porque tem o hábito de destruir as lixeiras e ficar gritando e xingando de madrugada.

O CASO

Uma mulher, de 43 anos, foi ferida na cabeça por uma barra de ferro, na noite de sexta-feira (4), na Praia da Costa. Segundo a Polícia Militar, ela conduzia um veículo quando foi atingida pelo vergalhão arremessado por um morador de rua. Com o objeto preso à cabeça, ela perdeu o controle do carro e acabou batendo em outro veículo.

A mulher foi socorrida por equipes do Corpo de Bombeiros, que cortaram parte da barra. Ela foi encaminhada em estado grave para o Hospital São Lucas, em Vitória. Horas depois ela morreu.

Através de câmeras de videomonitoramento, a Polícia Militar conseguiu prender o suspeito de ter lançado a barra de ferro contra a mulher. Ele foi detido cerca de 20 minutos depois do crime e levado à Delegacia Regional de Vila Velha.

Ver comentários