Notícia

Empresária atingida por vergalhão é enterrada em Vila Velha

O enterro aconteceu no cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, na manhã deste domingo (06)

O corpo da empresária Simone Venturini Tonani foi enterrado na manhã deste domingo (06), em Ponta da Fruta, Vila Velha
O corpo da empresária Simone Venturini Tonani foi enterrado na manhã deste domingo (06), em Ponta da Fruta, Vila Velha
Foto: Ricardo Medeiros

A empresária Simone Venturini Tonani, de 42 anos, foi enterrada às 11 horas deste domingo (06), no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, Vila Velha. Cerca de 200 amigos e familiares se despediram de Simone, que morreu após ter sido atingida por um vergalhão, jogado por um morador de rua, na Praia da Costa, também em Vila Velha, na última sexta-feira (04).

Marcado por muita emoção, o enterro contou com a presença de um padre que realizou um momento de oração. Um jovem chegou a desmaiar na cerimônia. Não há informação do grau de parentesco dele com a Simone.

> Opinião da GAZETA: Não foi uma fatalidade

Segundo a prima de Simone, a arquiteta Vanessa Venturin, 32, o caso está sendo um choque para a família. Ela disse que ficou sabendo por meio do Gazeta Online que um morador de rua tinha jogado um vergalhão contra um carro. No entanto, não imaginava que a vítima era a prima dela.

Ainda de acordo com a Vanessa, que trabalhava com a Simone há cinco anos, o filho da empresária, um menino de 8 anos, tem chamado pela mãe durante noite.

(Com informações de Victor Muniz)

CRIME

O filho de Simone presenciou o momento em que a mãe foi atingida por um vergalhão jogado por um morador de rua, na Praia da Costa, em Vila Velha. Ele estava no carro e foi retirado por pessoas que se aproximaram da cena na Avenida Champagnat, por volta das 18h34, da última sexta-feira (06). A criança foi acolhida por uma vizinha da vítima, onde ficou até por volta das 22 horas, também na sexta-feira (06), até que a família fosse buscá-lo.

Leia também

Simone Venturini Tonani é proprietária de uma loja de materiais de construção e ferramentas em Cariacica. Ela morava na Praia da Costa, em Vila Velha, e na hora do crime havia acabado de pegar o filho em um colégio particular da região.

De acordo com um primo de Simone, o também empresário Marcos Venturini, foi o menino que desbloqueou o celular para que a família da mulher fosse informada do acidente.

"As pessoas que o retiraram do carro foram muito solidárias. Ele que desbloqueou o celular e está consciente de tudo. Ele só não sabe da situação atual. Isso nós ainda estamos esperando um pouco para decidirmos como contaremos", diz.

Marcos lamenta a morte da prima e acredita que o episódio poderia ter sido evitado. "Pelo que nós sabemos, ele (o morador de rua) tem outras passagens pela polícia e não é a primeira vez que ele se envolve em uma situação parecida. Então não era para ele estar ali", avalia.

Segundo Marcos, os pais da empresária estão profundamente sensibilizados.

Vergalhão usado para matar a empresária Simone Venturini Tonani é parecido com a amostra que a polícia recolheu no local; objeto tem cerca de 1,5 metro
Vergalhão usado para matar a empresária Simone Venturini Tonani é parecido com a amostra que a polícia recolheu no local; objeto tem cerca de 1,5 metro
Foto: Rafael Silva

SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA

Para o empresário, toda a família está se sentindo insegura e, ainda, enfrentando a dor da perda. "Nós estamos falando de uma avenida extremamente movimentada, no Centro de Vila Velha. O trânsito, se olharmos as imagens, está fluindo lentamente, ninguém estava correndo. Poderia ter sido eu ou minha esposa...", diz.

Ele afirma que ninguém poderia imaginar que em um trajeto de aproximadamente 400 metros isso fosse acontecer. "Você pensa em uma mãe indo buscar o filho na saída da escola, na sexta-feira, com a criança dentro do carro, e voltando para casa passa por uma situação dessa", lamenta.

Ver comentários