Notícia

Gari tem pernas fraturadas por motorista sem habilitação em Vila Velha

O motorista do veículo, o estudante Gabriel Andrade Rodrigues, 18 anos, pagou fiança no valor de R$ 2 mil e foi liberado

Gari estava trabalhando quando foi atingido pelo carro que Gabriel Andrade Rodrigues, 18 anos, dirigia
Gari estava trabalhando quando foi atingido pelo carro que Gabriel Andrade Rodrigues, 18 anos, dirigia
Foto: Internauta | Gazeta Online

Um gari foi atropelado e teve as duas pernas fraturadas enquanto trabalhava, na noite desta terça-feira (12), na Avenida Champagnat, em Vila Velha. O responsável pelo acidente foi o estudante Gabriel Andrade Rodrigues, 18 anos, que pegou o carro do tio escondido para ir a uma lanchonete. Ele não possui a carteira de habilitação.

Era por volta das 23 horas quando o veículo Fiat Palio, conduzido por Gabriel, bateu na traseira do caminhão de lixo. No carro, além do estudante, também estavam o irmão dele e um primo, ambos de 16 anos.

O trio havia acabado de sair de uma lanchonete e seguia no sentido Praia da Costa. Em depoimento à Polícia Civil, Gabriel disse que seguia logo atrás do caminhão quando o veículo parou para fazer a coleta de lixo e ele não teve tempo de frear.

O gari, de 20 anos, que seguia em pé na parte de trás do caminhão de lixo, foi atingido pelo Palio. Um dos ferimentos provocou fratura exposta na perna direita da vítima. Segundo a Polícia Militar, testemunhas relatam que depois de provocar o acidente, Gabriel ainda tentou fugir, mas foi impedido por policiais que estavam em um restaurante próximo ao local.

Ele foi levado para a 2ª Delegacia Regional, em Cobilândia, onde prestou depoimento. “Ele disse que em nenhum momento tentou fugir do local, pelo contrário. Ficou lá e prestou todas as informações necessárias à polícia”, garantiu o advogado do estudante, Renato Cintra.

Gabriel foi autuado por lesão corporal e por dirigir sem carteira. Ele pagou fiança no valor de R$ 2 mil e foi liberado na manhã desta quarta-feira (13).

VÍTIMA SEGUE INTERNADA

O gari segue no Hospital Antônio Bezerra de Farias, em Vila Velha, onde passou por uma cirurgia e continuará internado. Ele está acompanhado da avó, a aposentada Francina Pereira. Por telefone, ela conversou rapidamente com a reportagem e disse que o neto está bem, mas assustado ainda.

“Ele estava trabalhando e aconteceu uma coisa dessas. Graças a Deus não corre o risco de perder a perna. Esse rapaz (motorista), tinha que andar certo, ter carteira. Não pode pegar o carro, sair por aí e ficar fazendo vítima, como quebrar as duas pernas de um trabalhador, enquanto está por aí, fazendo o que não deve. Caça um serviço e vai trabalhar”, falou.

Ver comentários