Notícia

Polícia Civil prende namorado de jornalista morta por asfixia na Serra

Ana Carolina Sabino faleceu no dia 27 de março, depois de ter sido encontrada inconsciente na sala da casa onde morava, em Cidade Continental, na Serra

Ana Carolina Sabino, de 25 anos, havia se formado recentemente
Ana Carolina Sabino, de 25 anos, havia se formado recentemente
Foto: Reprodução | Facebook

A polícia prendeu, na manhã desta terça-feira (12), o namorado da jornalista Ana Carolina Sabino, 25 anos, que foi encontrada inconsciente após uma suposta tentativa de suicídio, na sala da casa onde morava, em Cidade Continental, na Serra, na madrugada do dia 25 de março. 

Hamison dos Santos Nins, de 34 anos, foi levado para a Delegacia de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM) na manhã desta terça-feira (12) onde prestou depoimento. A reportagem do Gazeta Online confirmou a prisão de Hamison na DHPM. A informação também foi confirmada pelo investigador da Polícia Civil Patrick de Angeli Moreira, que também é primo da vítima.

Hamison dos Santos Nins foi preso na escola onde trabalha, no bairro Alvorada, em Vila Velha, enquanto dava aula de Português, depois da polícia procurar por ele em casa e não o encontrar. Em seguida ele foi encaminhado para a DHPM, que investiga a morte de Ana Carolina. Após passar por exame de corpo de delito no DML, ele foi encaminhado para o Presídio de Viana.

Hamison dos Santos Nins foi preso na escola onde dava aula
Hamison dos Santos Nins foi preso na escola onde dava aula
Foto: Reprodução/Facebook

"QUE ELE SEJA JULGADO E PAGUE", DIZ PAI

A notícia da prisão foi recebida com alívio pelo pai da jornalista, o assessor de comunicação Cléber Sabino. "É um misto de sentimentos. A história dele nunca convenceu a gente.  No meu entendimento ele matou minha filha duas vezes, primeiro cometeu o crime, depois tentou matar a memória da minha filha, dizendo que ela cometeu suicídio. Vamos torcer para que a justiça seja feita, que ele seja julgado e pague pelo que cometeu", afirmou.

O pai, diz que Ana Carolina mudou completamente depois que começou a namorar Hamison. O casal estava junta há 3 anos, e passaram a morar juntos poucos meses antes da morte da jornalista.

"Quando ela o conheceu tinha 22 anos. Eu questionava ela, porque ele gostava de beber. Mas se eu fosse bater de frente com ela, ia acabar perdendo o amor dela. Ela era maior de idade, procurei me aproximar dos dois. Estava com eles em quase todos os finais de semana. O rapaz traiu a confiança da gente. Ele era um rapaz muito possessivo. Ela era uma pessoa muito alegre e mudou completamente a personalidade dela depois que conheceu ele", conta.

TESE SOBRE FEMINICÍDIO

Ana Carolina havia se formado recentemente na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) com uma tese sobre feminicídio. A jornalista pretendia concorrer a uma vaga de Mestrado.

"Ela sempre participou dos movimentos na Ufes, apresentou tese sobre feminicídio. Quando a polícia passou a investigar o caso eu fiquei fique surpreso, justo ela que estudava sobre isso foi morrer assim. É muito triste. Depois que ela conheceu esse rapaz, parou de ir nas festas e seminários da Ufes, cortou relação com as amigas e até se distanciou da família", lamenta o pai.

MORTE POR ASFIXIA

Ana deu entrada no Hospital Jayme dos Santos Neves no dia 25 de março, por volta das 2h50, depois de ter sido encontrada inconsciente após uma suposta tentativa de suicídio, na sala da casa onde morava, em Cidade Continental, na Serra.

A jornalista teve uma parada cardíaca antes de chegar ao hospital. Na unidade de saúde, ela teve mais duas paradas cardíacas, sendo a terceira na madrugada do dia 27 de março, quando Ana não resistiu e morreu. O laudo pericial apontou que a causa da morte foi asfixia mecânica.

 

Ver comentários