Notícia

Secretário de Segurança nega saber de alerta de invasão na Piedade

O alerta teria sido feito em um grupo de mensagens onde está ele e o chefe de Polícia Civil, Guilherme Daré

Equipes da PM e da PC atuam no Morro da Piedade, diz a Sesp
Equipes da PM e da PC atuam no Morro da Piedade, diz a Sesp
Foto: Fernando Madeira

O secretário estadual de segurança pública do Estado, Nylton Rodrigues, disse desconhecer a informação de que a

cúpula da Sesp foi avisada sobre a invasão do Morro da Piedade

. Segundo reportagem exclusiva do

Gazeta Online

no último sábado (16), o alerta foi dado em um grupo em que estava além dele o chefe de Polícia Civil do Estado, Guilherme Daré.

Rodrigues disse que existem fluxos oficiais de comunicação na inteligência da polícia. “O serviço de inteligência das polícias atuam em produção de conhecimento. Quando existe a produção de conhecimento e a produção de informação nós temos nossos fluxos oficiais para que isso seja difundido nas instituições. Grupos de Whatsapp e conversas não são canais oficiais. Eu desconheço esse grupo e desconheço essa informação”, declarou. 

Leia também

A reportagem teve acesso ao diálogo. No dia 6 de junho, três dias antes do último ataque na Piedade, um integrante do grupo de WhatsApp relatou às outras autoridades que o trabalho de inteligência identificou que bandidos do Morro São Benedito, vizinho ao Bairro da Penha, em Vitória, ameaçavam atacar o Morro da Piedade nos dias seguintes.

Três dias depois, no dia 9 de junho, cerca de 20 homens armados invadiram a comunidade. Os tiroteios começaram às 20h30, enquanto os criminosos ameaçavam moradores. A PM foi até o local e chegou a trocar tiros com bandidos.

MORTE E MUDANÇA

Durante a madrugada, os tiros cessaram. No entanto, assim que a PM deixou o local, novos disparos foram feitos até a manhã do dia 10, quando Walace de Jesus Santana, 26, foi assassinado com mais de 15 tiros.

Os bandidos ainda expulsaram a família da vítima de casa e atearam fogo no imóvel. Segundo a polícia, Walace fazia parte do tráfico de drogas do local.

Após o ataque e ameaças para que moradores saíssem a região em sete dias, o morro ficou vazio. Várias famílias mudaram-se às pressas com medo.

Na última quinta-feira, a reportagem divulgou que informações obtidas de que a inteligência das polícias investigavam os traficantes do Bairro da Penha e do Morro de São Benedito como os responsáveis pelo terror implantado na Piedade por conta da disputa pelas bocas de fumo do local.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Segurança Pública(Sesp) informou, por nota, que como não teve acesso pela reportagem às “supostas declarações citadas”, nem em qual grupo essa informação circulou, não seria possível comentar o caso.

“A Sesp informa que as polícias Civil e Militar, por meio de seus setores de inteligência, monitoram diariamente todos os informes vinculados a crimes e tomam todas as medidas para enfrentar a criminalidade. Esses informes permanentes evitam várias situações de risco no Espírito Santo”.

A nota completou que todas as providências para a segurança do bairro da Piedade e do entorno foram e estão sendo adotadas pela equipe da Sesp. “A Sesp anunciou a implantação de uma base fixa da PM na Piedade, com o objetivo de estabelecer a presença ostensiva na região. Equipes da PM e da PC estão presentes no local para garantir a segurança dos moradores“.

Com informações de Kaique Dias e Elis Carvalho 

Ver comentários