Notícia

Terror do tráfico: moradores do Morro do Moscoso abandonam casas

Segundo moradores, criminosos passaram pelas ruas do local ameaçando quem vive ali. Há relatos, inclusive, de traficantes invadindo as residências de pessoas de bem

Foto: Google Earth

O medo instaurado no Morro da Piedade, Centro de Vitória, devido à guerra do tráfico se estendeu à comunidade vizinha, o Morro do Moscoso. Na tarde desta terça-feira (12), a reportagem flagrou famílias saindo às pressas da região. Segundo moradores, criminosos passaram pelas ruas do local ameaçando quem vive ali. Há relatos, inclusive, de traficantes invadindo as residências de pessoas de bem. 

No último domingo (10), um homem foi assassinado a tiros e a casa da mãe dele foi incendiada no Morro da Piedade. Sem se identificarem, moradores contaram que pelo menos 12 famílias deixaram suas casas no mesmo dia do crime. Com a presença da polícia, mais moradores aproveitaram a oportunidade para mudar do bairro desde segunda-feira (11) até hoje. 

Leia também

O clima de medo com as constantes invasões de gangues rivais e assassinatos, inclusive de quem não tem relação coma  criminalidade, chegou ao Morro do Moscoso, que fica próximo da Piedade. Em meio à mudança, uma moradora de 48 anos, falou à

TV Gazeta

sobre a tristeza de ter que largar o lugar onde nasceu e cresceu. Mas, segundo ela, essa será a única forma de viver tranquila já que há semanas não consegue dormir de medo. 

"Estamos indo embora porque não temos segurança aqui. Estou saindo, como várias famílias já saíram, porque o policiamento está concentrado na Piedade agora e aqui no Moscoso está cada vez pior. Sentimos medo porque sabemos que os mesmos bandidos que invadem a Piedade passam pela mata próximo ao Moscoso. Fico triste em ter que sair do lugar onde nasci e cresci, largando tudo para trás. Mas a gente não tem informação do que realmente está acontecendo e não nos sentimos mais seguros", disse, sem se identificar.

Enquanto arrumava os objetos para serem levados, a moradora contou que antes dela pelo quatro famílias já tinham saído da região nesta terça-feira (12). Ela contou também que traficantes estão invadindo as casas dos moradores e que nos últimos dias bandidos passaram pelo morro fazendo ameaças e ordenando que moradores abandonem suas residências.

"É triste saber que teremos que recomeçar tudo. Nessa correria, estamos levando o básico para viver, mas muita coisa vai ficar para trás. Eu queria continuar aqui, mas tenho medo. Hoje, há apenas três famílias no topo do morro. De resto, está todo mundo indo embora. A gente se sente seguro porque a polícia aparece quando acontece algo, mas depois vão embora e os bandidos descem. Ninguém consegue mais dormir em paz. Espero que as coisas melhorem. Quem sabe um dia a gente consiga voltar", lamentou.

 

Ver comentários