Notícia

'Ela xingava e batia nele', diz irmão de mulher que matou marido

Confira a entrevista com o cunhado da vítima, Márcio Aguiar de Jesus

Márcio Aguiar de Jesus, cunhado da vítima morta a facadas pela mulher, na Serra, nesta sexta-feira (10)
Márcio Aguiar de Jesus, cunhado da vítima morta a facadas pela mulher, na Serra, nesta sexta-feira (10)
Foto: Bianca Vailant

A mulher que matou o marido com uma facada, em Lagoa de Jacaraípe, na Serra, ficava bastante agressiva quando bebia. As palavras são do cunhado da vítima, Márcio Aguiar de Jesus, que conversou com o Gazeta Online. O caso aconteceu na noite desta sexta-feira (10), quando Edilandia Aguiar Pereira, irmã de Márcio, proferiu um golpe contra o marido, o ajudante de pedreiro Paulo de Souza Santos. Veja a entrevista.

Como você ficou sabendo do crime?

Eu estava na casa deles. Estava tudo bem, eles estavam em pé conversando. Quando eu vim para casa não demorou 10 minutos e eu ouvi os gritos dela na rua. Fui até a porta, ela estava muito desesperada, gritando e com a faca na mão. Minhas filhas estavam em casa. Não podia deixá-las verem aquela cena. Tirei a faca da mão de Edilandia, joguei na rua e fui correndo na casa deles.

O que você viu quando chegou lá?

Leia também

Ele estava no chão, ensanguentado. Ainda não estava morto, mas tinha perdido muito sangue. Ele reagia, mas já não falava mais.

Eles costumavam brigar muito?

Ele era um cara tranquilo, mas ela quando bebia ficava muito agressiva. Ela xingava e batia nele. Ele nunca levantou a mão para ela.

Mas você já tinha presenciado brigas como essas? Com facas e ameaças?

Já e não foi a primeira vez. Um dia eu tentei separar a briga, ela pegou uma faca enorme e veio para o meu lado. Se eu não tivesse desviado, ela teria me atravessado com aquela faca.

Com informações de Bianca Vailant

Ver comentários