Notícia

"PM não deveria estar armado em uma boate", diz tio de jovem morta

Thalita do Carmo, de 19 anos, morreu na porta de uma boate ao ser atingida por disparos feitos pelo policial militar Patrick Ramos Guariz, 26 anos. O segurança do estabelecimento ficou ferido

Thalita do Carmo, 19 anos, foi morta por um tiro disparado pelo policial militar Patrick Ramos Guariz, 26 anos
Thalita do Carmo, 19 anos, foi morta por um tiro disparado pelo policial militar Patrick Ramos Guariz, 26 anos
Foto: Bernardo Coutinho

Ainda tentando absorver a dor da perda da sobrinha Thalita do Carmo, 19 anos, o tio dela, um servidor público de 32 anos - que não quis ser identificado - lamentou a morte, em especial pelo crime ter sido cometido por um militar. “Se for analisar essa situação, ele (PM) não deveria estar armado em uma boate. Se ele bebeu, eu não sei direito sobre os fatos, não deveria estar armado de forma alguma”, desabafou.

- Bala atingiu celular, diz mãe de segurança ferido por PM em boate

Quem era a Thalita?

Ela era uma jovem que trabalhava como promoter, no momento não estava estudando pois procurou vaga em um colégio de Ensino Médio, próximo da nossa residência, e não conseguiu vaga. Ela queria terminar o ensino médio para depois ver o que faria de ensino superior. Morava comigo e com a minha mãe.

Como era o dia a dia da Thalita?

Uma menina super ativa, passou boa parte da vida na igreja onde aprendeu vários instrumentos, cuidava muito da irmã de 10 meses para a mãe trabalhar.

Ela não queria ir para a boate na sexta-feira?

Não sei como foi ontem exatamente. Mas é o normal quando você é promoter não querer ir ao evento, mas pra ter um retorno financeiro ela foi.

Como você recebeu a notícia do que havia acontecido?

Eu acordei com a notícia e pior ainda foi quando eu soube que, infelizmente, foi um militar quem fez os disparos. Se for analisar essa situação, ele não deveria estar armado em uma boate. Se ele bebeu, eu não sei direito sobre os fatos, não deveria estar armado de forma alguma.

VELÓRIO E ENTERRO

O velório de Thalita será na Igreja do Calvário, em Serra Dourada, na Serra. O enterro está previsto para ser realizado no Cemitério de São Domingos, no mesmo município. Os horários não foram informados

ENTENDA O CASO

Uma jovem de 19 anos morreu e um segurança ficou ferido ao serem atingidos por disparos feitos por um policial militar, na porta de uma boate, às 4h16, em Parque Residencial Laranjeiras, na Serra.

Segundo informações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o policial militar, identificado como Patrick Ramos Guariz, 26 anos, saiu da boate após pagar a conta, mas resolveu voltar para o interior do estabelecimento e foi impedido pelo segurança.

Enquanto Patrick discutia para retornar à boate, a jovem Thalita do Carmo Pereira, de 19 anos, se aproximou do segurança para entregar a comanda que havia pagado para também sair da boate. Nesse momento, Patrick abriu fogo contra o segurança.

Ver comentários