Notícia

Secretário de Segurança: 'Tráfico não comanda nada nem dita regra'

A declaração do secretário aconteceu dois dias depois de uma jovem de 22 anos ter sido assassinada por entrar em um bairro desrespeitando as regras impostas por traficantes

Coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, secretário de Segurança Pública do Estado
Coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, secretário de Segurança Pública do Estado
Foto: João Paulo Rocetti

Dois dias depois da vendedora Thaís Oliveira Rodrigues, de 22 anos, ter sido assassinada no bairro Morada da Barra, em Vila Velha, enquanto buscava um bolo para comemorar o aniversário da irmã e da mãe, o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Nylton Rodrigues, afirmou que “o tráfico não comanda nada e nem dita regra alguma”, e que “quem dita regra no Estado do Espírito Santo são os poderes constituídos”. A principal suspeita para o ataque que causou a morte da jovem é de que a luz interna do veículo não estava acesa, como exigem os traficantes da região.

> OPINIÃO DA GAZETA | Lei que deve valer não pode ser a do tráfico

O carro, que era dirigido pela tia, passava pela Avenida Brasil, no bairro Morada da Barra, quando foi atingido por disparos. Os vidros estavam abaixados. A luz interna do veículo, contudo, não estava acesa, como estabelecem os traficantes. Os dois homens que abordaram o veículo já chegaram atirando e gritando para a família de Thaís parasse. De acordo com testemunhas, foram muitos tiros, mas apenas dois atingiram o carro.

> Thaís é sepultada no dia do aniversário do pai

O secretário afirmou ainda que crimes como o que vitimaram a Thaís não serão tolerados. “Nós ditamos as regras. E quando alguém, quem quer que seja, tenta ditar qualquer tipo de regra, o braço armado do Estado vai lá e prende. E coloca atrás das grades”, disse. 

O coronel Nylton disse ainda que a polícia está presente em todos as regiões do Espírito Santo. “No Estado não existe um local sequer que as polícias militar e civil não entrem e permaneçam. Nos faremos presentes diante dessa ousadia de criminosos que tentam impor regras a comunidades. Nós não vamos permitir que isso aconteça”, reforçou.

> O último post de jovem assassinada em Vila Velha

Sobre as “regras” escritas no muro em Morada da Barra, o secretário disse que serão apagadas. “Nós fizemos contato com a prefeitura para que esses inscritos sejam imediatamente apagados”, disse.

'Abaixe vidro do carro', diz pichação em avenida onde jovem foi morta
'Abaixe vidro do carro', diz pichação em avenida onde jovem foi morta
Foto: Ari Melo | TV Gazeta

Sobre o crime, o coronel afirmou que as investigações estão em estágio avançado. “Estamos focados na identificação do autor deste crime covarde e absurdo. Também estamos presentes na comunidade e vamos aumentar a nossa ostensividade para levar tranquilidade às pessoas”, completou.

O CRIME

Por volta das 22h20 do último sábado (18), Thaís Oliveira Rodrigues estava em um carro, acompanhada da família, e seguia pelo bairro Morada da Barra, na Avenida Brasil, quando o veículo (que era dirigido pela tia da Thaís) foi parado por bandidos.

Pelo menos dois tiros foram disparados. Um acertou a jovem, que chegou a ser levada ao Hospital Santa Mônica, mas não resistiu ao ferimento. O outro atingiu de raspão a avó da jovem.

Foto: Facebook

Em entrevista à jornalista Gabrielle Manganeli, da TV Gazeta, um tio de Thaís contou que as janelas do vidro do carro estavam abertas e que os bandidos já chegaram mandando parar o carro e atiraram.

Ao ver que seus familiares tinham sido atingidos, a tia arrancou com o carro. Um dos pneus acabou estourando, mas não se sabe se também foi por conta dos tiros. Mesmo assim, a tia conseguiu sair do bairro e pediu a ajuda de populares, que levaram Thaís e a avó até o Hospital Santa Mônica, em Itaparica. A jovem chegou a ser socorrida com vida, mas não resistiu e faleceu durante a madrugada de domingo (20). A avó também foi atendida, mas já recebeu alta.

Ver comentários