Notícia

Bandidos tentam dar golpe em igreja de Cachoeiro de Itapemirim

Por telefone, pessoas se passaram por funcionários do serviço de energia informando que a instituição estava com dívidas

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Foto: Divulgação

Funcionários da Paróquia Nossa Senhora da Penha, no bairro BNH, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, sofreram uma tentativa de golpe nesta segunda-feira (11). Por telefone, pessoas se passaram por funcionários do serviço de energia, informando que eles estavam devendo a concessionária de energia, Escelsa (EDP).

Segundo um alerta divulgado pelo pároco Sebastião Lopes da Silva, os indivíduos se passam por funcionários concessionária, comunicando sobre pendências. O padre explicou que o telefonista cobrava uma taxa de uma troca de padrão de energia, pressionando sobre um possível corte da energia da paróquia e fornecendo números 0800 que pertenciam aos próprios praticantes do golpe.

“Fiquemos atentos, pois este tipo de prática pode conter alterações, como por exemplo variando o tipo de empresa (dizendo que são de empresas de telefonia, água, internet, etc), informando que há contas mensais em aberto e outras formas de enganar a população”, diz o alerta emitido pelo pároco às outras comunidades.

> Os golpes que mais fazem vítimas no ES

O padre orienta ainda que as pessoas devem se lembrar de verificar, em caso de dúvida, o que está sendo cobrado, como por exemplo, valores em aberto, para evitar possíveis golpes.

ALERTA

A EDP faz um alerta aos seus clientes sobre casos de golpe por telefone:

- Nenhum funcionário ou prestador de serviços da distribuidora está autorizado a cobrar pelos serviços prestados ou receber pagamentos em nome da empresa

- Tanto os colaboradores próprios, quanto os prestadores de serviço/terceiros, que atuam em contato com os clientes, podem ser identificados por meio do uniforme, com a logomarca da companhia.

- Os profissionais de campo, como os eletricistas, utilizam veículos também padronizados com a marca da empresa fornecedora/terceirizada e da EDP. A frase “A serviço da EDP” é uma das características dos veículos que andam nas ruas e de fato são prestadores de serviços para a Companhia

- O consumidor deve permitir o acesso do funcionário somente ao medidor de energia e os colaboradores da EDP não realizam vistorias internas em residências

- Em hipótese alguma os clientes devem pagar por serviços prestados em domicílio. Todos os serviços prestados pela EDP são cobrados na fatura de energia, que devem ser pagas em bancos ou correspondentes bancários credenciados.

- Em casos de inspeções de combate ao furto de energia, é lavrado um Termo de Ocorrência de Irregularidade, e, depois é enviada a cobrança do valor devido e aberto o prazo para defesa. A distribuidora ressalta que não é realizada nenhuma cobrança no local ou no momento da inspeção.

- Em caso de dúvida o cliente pode solicitar a identificação do funcionário e verifique se os dados da nota de serviço estão corretos por meio da Central de Atendimento ao Cliente 0800 721 0707, com ligação gratuita e 24 horas, ou se dirigir a uma Agência de Atendimento presencial

> Criminoso se passa por padre e aplica golpes

Ver comentários