Notícia

Advogado e fazendeiro são presos suspeitos de assassinato em Pinheiros

As prisões aconteceram em Vila Valério na manhã desta quinta-feira (24)

Armas e munições encontradas e Vila Valério com suspeitos por assassinato
Armas e munições encontradas e Vila Valério com suspeitos por assassinato
Foto: Polícia Civil

Um advogado e um fazendeiro foram presos na manhã desta quinta-feira (24), em Vila Pavão, região Noroeste do Estado, acusados de matar Alex Soares da Silva, de 21 anos, em Pinheiros. O crime aconteceu em 8 de novembro do ano passado. O corpo da vítima foi encontrado na estrada que liga Pinheiros a Montanha.

Segundo a Polícia Civil, o advogado, de 25 anos, foi detido na casa de uma parente, no bairro Vila Nova. Foram realizadas buscas na residência e em seu escritório de advocacia, localizado no Centro, onde foram encontrados os documentos da moto da vítima.

> Dupla é presa suspeita de matar amigo a facadas em Pinheiros

Já o fazendeiro foi preso em sua propriedade, na localidade de Córrego da Armação, zona rural de Vila Valério. No local, os policiais encontraram joias, munições e três armas de fogo, (um revólver calibre 32, um revólver calibre 38 e uma pistola calibre 9 mm, arma do mesmo calibre da usada no homicídio).

As prisões foram feitas por policiais civis de Pinheiros, Boa Esperança e São Gabriel da Palha, com o apoio de policiais militares de Pinheiros e São Gabriel. Os acusados e os materiais apreendidos foram conduzidos para a Delegacia de Polícia de São Gabriel da Palha.

INVESTIGAÇÕES

De acordo com a Polícia Civil, Alex tinha envolvimento com o crime em Vila Valério e havia três mandados de prisão em aberto contra ele por roubo e homicídio. As investigações de seu assassinato indicaram que a vítima saiu do município no carro do advogado, junto com um amigo, e seguiram para uma fazenda de Pinheiros. A vítima ficaria na casa do pai por alguns dias, mas não chegou no local.

Seu corpo foi encontrado no quilômetro 12 da estrada que liga Pinheiros a Montanha. Ele estava sem documentos de identificação e havia várias cápsulas de pistola calibre 9 mm no local.

“Os investigados foram interrogados na Delegacia de Polícia de São Gabriel da Palha em dezembro do ano passado e negaram qualquer envolvimento no crime. Porém, as investigações realizadas e informações coletadas foram suficientes para indicar a suposta participação do advogado e do amigo dele no crime em apuração. Tais informações ainda não podem ser reveladas porque o inquérito está sob segredo de Justiça e novas diligências serão realizadas”, informou o delegado Douglas Trevizani Sperandio, titular da Delegacia de Pinheiros.

Uma equipe da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) acompanhou a ação policial.

Ver comentários