Notícia

Assassinos de irmãos na Piedade apontados como líderes de ataque em morro

A polícia informou que Alan Rosário de Oliveira, 30 anos, e Rafael Batista Lemos, 24 anos, são apontados como líderes da ação que resultou no assassinato de três pessoas na última segunda-feira (14) em uma praça No Morro do Moscoso

Rafael e Alan apontados pela polícia como líderes do ataque no Morro do Moscoso
Rafael e Alan apontados pela polícia como líderes do ataque no Morro do Moscoso
Foto: Divulgação/Polícia Civil

A caça pelos rivais e a disputa pelo tráfico de drogas, mais uma vez, são as causas de mortes na região da Piedade. Nesta quarta-feira (16), a polícia informou que Alan Rosário de Oliveira, 30 anos, e Rafael Batista Lemos, 24 anos, são apontados como líderes da ação que resultou no assassinato de três pessoas na última segunda-feira (14) em uma praça no Morro do Moscoso, divisa com a Piedade. Outras duas pessoas ficaram feridas no ataque.

>ENTENDA A GUERRA DO TRÁFICO NA PIEDADE

Como o Gazeta Online publicou nesta terça-feira (15), os dois fazem parte do grupo que tenta tomar a região e são acusados de participação nas mortes dos irmãos Ruan e Damião Reis, em março, e de Walace de Jesus, que era braço direto do então chefe do tráfico na Piedade, o João Paulo Ferreira Dias, que está preso.

Do grupo detido em julho de 2018, Alan e Rafael são os que ainda estão foragidos. O alvo deles seria um rival que não voltou para a prisão depois de uma saída temporária.

"As informações iniciais apontaram dois indivíduos que lideraram esse ataque. Todo histórico deles já era investigado por nós e também possuem mandados de prisão em aberto. Trata-se do Alan Rosário de Oliveira e Rafael Batista Lemos. O intuito desse ataque, liderado por eles, era exterminar um rival que se evadiu do sistema prisional em dezembro de 2018", afirmou o delegado Janderson Lube.

 

>"EU PEDI PARA ELE NÃO IR LÁ", DIZ MÃE DE VÍTIMA

O ALVO DOS BANDIDOS

De acordo com fontes do Gazeta Online, o alvo dos criminosos era Paulo Ricardo Ferreira Dias, irmão do antigo "dono" do morro, João Paulo. Os dois fazem parte da família "Ferreira Dias" que dominava o tráfico de drogas na Piedade. Segundo informações da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) à reportagem nesta terça-feira (15), Paulo Ricardo "encontra-se em evasão desde o dia 26/12/2018, após não ter retornado à Penitenciária Semiaberta de Vila Velha ao término do período de saída temporária". A polícia não informou o nome do alvo dos bandidos.

Ainda segundo o delegado, como Alan e Rafael não conseguiram achar quem eles pretendiam, executaram três vítimas e atentaram contra duas outras, proporcionando assim uma demonstração de poder. 

Como não encontraram o alvo, exterminaram quem encontraram. Infelizmente, essa ação de extrema violência foi demonstração de poder deles e foi liderada por esses dois indivíduos que já são investigados por nós pelos crimes que vitimaram os irmãos e o Walace, que ocorreram na Piedade.
Janderson Lube, delegado

>OPINIÃO | MORROS DO CENTRO VIVEM FILME DE TERROR

No momento crime, várias pessoas estavam na pequena praça no alto do Morro. Entre elas, Luiz Fernando da Conceição Gomes, de 18 anos, Patrick Oliveira de Souza, de 26 anos, e Wemerson da Silva Lima, de 23 anos, que foram assassinados. Um coletor de lixo de 28 anos e uma adolescente de 15 também foram atingidos, mas socorridos. 

A maneira como os criminosos agiram na segunda, de acordo com o delegado, é semelhante a das outras vezes, de modo a proporcionar uma emboscada. "Vieram pela mata. Segundo informações, o Alan conhece muito bem a região. O intuito era acertar outro rival, que não foi atingido".

Janderson Lube explicou que apesar do conhecimento de que eles tiveram participação nos outros crimes - e ter mandados de prisão em aberto - a chegada até eles não é fácil devido às matas existentes nas regiões dos morros de Vitória - que acabam estabelecendo uma conexão na disputa pelo tráfico de drogas. 

SÃO BENEDITO E BAIRRO DA PENHA

Sobre Alan e Rafael, o delegado disse que os dois são do São Benedito e têm ligação com o tráfico de drogas do Bairro da Penha.

VÍTIMAS

Janderson Lube lembrou que mesmo tendo uma linha de investigação, o envolvimento dos mortos com o alvo dos bandidos não é desconsiderado. Wemerson da Silva Lima, de 23 anos, tinha passagem na polícia por tráfico, assim como um dos sobreviventes. 

"Está sendo considerado por causa da situação. A gente está investigando se as vítimas estavam envolvidas ou não, como pretenso alvo dos bandidos. Mas para a gente todos são vítimas, independente da situação. Todos os antecedentes são investigados pela possível motivação. A linha de investigação aponta que o alvo era outro e eles agiram de forma violenta", apontou. 

O delegado explicou que Alan e Rafael estavam acompanhados de outros criminosos que também chegaram atirando - entre 8 e 10 pessoas (número ainda não confirmado no total). A Polícia Civil trabalha para saber quem são essas pessoas.

DENÚNCIAS PODEM AJUDAR NA LOCALIZAÇÃO 

O delegado chefe do Departamento Especializado de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), José Lopes, pediu o apoio da população com informações sobre os procurados e reforçou a dificuldade de agir nessa região de mata.

"Gostaria de agradecer a quem acreditou no nosso trabalho. O Disque-Denúncia está 'bombando'. Continuem, porque vamos prender todo mundo. A população a que nos dirigimos é carente e tem medo de ser reconhecida. Eu não sei quem liga (por causa do sigilo). Mas peço que as pessoas não brinquem. Tem o aplicativo também e o site do Disque-Denúncia", lembrou. 

HISTÓRICO DE ALAN

Quando os acusados pelos crimes na Piedade foram presos em julho, a polícia divulgou que Alan Rosário de Oliveira é filho de Aladir de Oliveira Filho, que participou diretamente da morte dos irmãos Ruan e Damião. Após a morte dos irmãos Reis, Aladir foi assassinado, em maio de 2018, por Walace de Jesus Santana, segundo a Polícia Civil.

Assim, por vingança, Alan participou da morte de Walace em 10 de junho. De acordo com um processo que corre na Justiça Estadual, Alan liderou outro ataque ao Morro da Piedade em 29 de maio do ano passado, que resultou na morte de Lucas Teixeira.

QUEM É QUEM NESSA HISTÓRIA

ALAN ROSÁRIO DE OLIVEIRA - Filho de Aladir, está envolvido diretamente na morte de Ruan e Damião. É apontado como um dos executores de Walace Santana, como vingança pelo assassinato do pai, Aladir. Agora, é investigado pela polícia como um dos líderes do ataque no Morro do Moscoso. Está foragido. Tem passagens pela polícia desde 2007: quatro passagens por tráfico de drogas e associação ao tráfico, duas passagens por porte de arma irregular e duas por homicídio - morte dos irmãos e de Wallace. 

RAFAEL BATISTA LEMOS - Irmão de Gustavo Batista Lemos, participou tanto da morte dos irmãos quanto do homicídio de Walace, segundo a Polícia Civil. Ainda está foragido. Também é apontado como líder do ataque no Morro do Moscoso. Tem passagens pela polícia desde 2012: duas passagens por tráfico de drogas, uma por posse de arma de uso restrito e duas por homicídio - morte dos irmãos e de Wallace

PAULO RICARDO FERREIRA DIAS - É um dos irmãos Ferreira Dias - família que dominava o tráfico na região da Piedade -, que segundo fontes do Gazeta Online, era o alvo dos bandidos no ataque de segunda. Ainda de acordo com essa fonte, outra integrante da família também estava na lista dos bandidos.

Ver comentários