Notícia

Drone vai vigiar trilhas de fuga de bandidos do tráfico em matas

Equipamento ajudará a PM a monitorar rotas utilizadas por bandidos em morros de Vitória

Drone da PM: mesmo em um momento sem tropa, equipamento permite o monitoramento em área de mata
Drone da PM: mesmo em um momento sem tropa, equipamento permite o monitoramento em área de mata
Foto: Fernando Madeira - GZ

Os traficantes, que utilizam trilhas para fugir e atacar rivais, além de esconder armas e drogas, estão na mira da Polícia Militar. Do alto, os policiais vão usar helicóptero e até drone para localizar pontos em matas próximas aos morros de Vitória.

Segundo a polícia, os bandidos estão cada vez mais ousados e equipados, ostentando armas mais potentes e até usando roupas camufladas em ataques criminosos.

Na tarde de terça-feira (22), sete suspeitos foram presos em uma operação da PM no Morro da Conquista, Grande São Pedro. Um deles, de apenas 15 anos, estava com roupa camuflada quando foi encontrado. No celular dele também havia a foto de um grupo todo camuflado, ostentando armas.

Na quinta-feira (24), uma operação da PM nos morros de Vitória e matas adjacentes contou com 60 policiais, entre agentes da Companhia Independente de Missões Especiais, da Força Tática do Primeiro Batalhão e da Companhia Independente de Operações com Cães (Cioc).

Leia também

A polícia foi informada de que esses locais mais afastados, no meio do mato, são usados para esconder armas e drogas. Com o drone, a PM pode monitorar as áreas verdes, que ficam ao redor de morros, como o da Piedade e o Moscoso, alvos de ataques de facções criminosas.

Pela mata, através de trilhas abertas ou fechadas, os traficantes conseguem acesso a comunidades de praticamente toda ilha de Vitória: Morro do Macaco, em Tabuazeiro, região de Maruípe, Piedade, Moscoso e Fonte Grande, no Centro da Capital, Bela Vista, na região da Grande Santo Antônio, e Morro da Conquista, na grande São Pedro.

“Mesmo que você não tenha tropa naquela hora, o drone permite o monitoramento em área de mata, o que auxilia o nosso trabalho para encontrar suspeitos de crimes com mandados de prisão em aberto. Já encontramos locais que certamente poderiam servir como esconderijo de entorpecentes ou locais onde podem dar início a ataques”, destaca o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel Geovânio Silva Ribeiro.

No ataque ao Morro do Moscoso, no dia 14, que deixou três mortos e dois feridos, testemunhas relataram que os suspeitos saíram de uma região de mata.

ESCONDIDOS

 O comandante também confirmou que esses soldados do tráfico chegam a passar até dias escondidos no matagal. “Eles têm que encontrar diversos subterfúgios para fugir da fiscalização policial. Às vezes, eles permanecem muito tempo em local escondido. Como a mata é enorme e quem conhece bem esse ambiente, pode até confortavelmente permanecer em determinado ponto. É uma estratégia usada por eles”, afirmou.

O drone também é apontado como um instrumento para dar segurança ao deslocamento dos policiais dentro dos morros, por terem muitos locais de difícil acesso e que podem ser armadilhas contra os PMs, como lajes, vielas e becos.