Notícia

Moradores têm casa arrombada duas vezes em 15 dias em Cariacica

O prejuízo contabilizado com os arrombamentos já ultrapassa os R$ 20 mil, segundo uma das vítimas

A cena se repete para moradores do bairro Morada de Santa Fé, em Cariacica: fechadura arrombada e caída ao chão, pertences revirados, bens levados e sem sinal de quem cometeu o crime. No final da manhã deste domingo (20), uma residência da Rua Romana foi invadida pela segunda vez, em 15 dias. Segundo uma das vítimas, o prejuízo contabilizado com os arrombamentos já ultrapassa os R$ 20 mil.

De acordo com um representante comercial de 54 anos, que teve a casa revirada e preferiu não se identificar, os assaltantes teriam entrado no prédio onde mora pulando o muro da casa do vizinho. Depois, subiram no telhado da garagem do representante comercial e pularam no quintal dela.

Para arrombar a casa os criminosos retiraram o miolo de chave da fechadura e, segundo a vítima, levaram uma TV de 47 polegadas, seis relógios e um computador da residência. "Na primeira vez que entraram aqui em casa tive um prejuízo de mais de R$ 5 mil e agora outro de R$ 15 mil. Já tive três televisões roubadas em 15 dias", contou.

Após revirarem tudo, eles seguiram para a casa do segundo andar. Lá também arrombaram a fechadura, reviraram os pertences e levaram relógios, celulares e televisões. Para sair do prédio forçaram o portão da entrada do local.

> Bandidos invadem distribuidora de bebidas, levam dinheiro e escapam da polícia

Segundo uma comerciante de 66 anos, que é a proprietária do prédio e mora com o marido na segundo andar. Ele ainda conta que descobriu o que tinha ocorrido por volta das 12 horas quando ele voltou da feira. “Eu e o dono do prédio tínhamos ido à feira. Saímos de casa por volta das 10h e quando voltamos nos deparamos com essa cena. Esta é a segunda vez que somos roubados dentro da nossa própria casa reviraram até os álbuns de fotografia da família".

Já o marido dela, um cabeleireiro de 65 anos, conta que nem adianta investir em sistema de segurança. “Eu me sinto desprotegido e sem segurança dentro da minha própria casa. Dessa vez fomos nós, mas na semana passada um vizinho teve a casa arrombada”, relatou

Ver comentários