Notícia

PM capota com carro, sai de veículo e fica em mata na Reta do Aeroporto

Para a polícia, o militar afirmou que, após o capotamento, ficou com medo de ser saqueado e, por isso, pegou a arma e fugiu para dentro da mata com o objetivo de se esconder

Um acidente envolvendo o carro de um policial militar congestionou o trânsito na BR 101, na Reta do Aeroporto, em Vitória, na manhã deste sábado (19). O motorista do veículo Corsa Classic, um cabo da PM que estuda para sargento, seguia em direção à Serra quando capotou na pista. A Polícia Rodoviária Federal (PRF-ES) esteve no local por volta das 7h, mas ainda não sabe as causas do acidente.

Testemunhas que estiveram no local afirmaram que, logo após o acidente, por volta das 6h40, um homem saiu do carro segurando uma arma e entrou na região de mata que fica às margens da rodovia. Por pensarem se tratar de um criminoso, os populares imediatamente acionaram a polícia.

> Acidente entre carro e motos mata duas pessoas e interdita a BR 262

Assim que chegaram no local, os militares começaram a revistar o veículo. Dentro do carro, além de outros pertences do condutor, havia uma farda da Polícia Militar. Apesar da farda ter sido encontrada dentro do veículo, a assessoria de imprensa da PM afirmou, em uma primeira nota, que era “precoce afirmar que um policial militar estava conduzindo o veículo, visto que o caso necessitava de apuração”.

BUSCAS COM HELICÓPTERO

Para realizar as buscas na região, até mesmo o helicóptero do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer) foi acionado. Cerca de 4 horas depois, a PM informou, também por nota, que o condutor havia sido localizado. “Após buscas com o Harpia, o condutor do veículo foi localizado desacordado em uma área de mata próximo ao local do capotamento”.

> Carros batem de frente e motoristas ficam feridos na BR 101, São Mateus

Para a polícia, o militar afirmou que, após o capotamento, ficou com medo de ser saqueado e, por isso, pegou a arma e fugiu para dentro da mata com o objetivo de se esconder.

Perguntada uma primeira vez sobre a existência de mais informações sobre o caso, a assessoria da PM respondeu, em nota, que “informações sobre a ocorrência de trânsito deveriam ser apuradas com a PRF”.

CAUSAS DO ACIDENTE

A reportagem então fez novos questionamentos, desta vez mais direcionados, sobre os procedimentos que irão ser realizados para investigar as causas do acidente. Perguntamos se, antes do acidente, o PM estava em serviço, se após o socorro foi levada em consideração a possibilidade de o militar ter feito uso de álcool e se as causas do acidente serão investigadas.

Sobre os novos questionamentos, a polícia afirmou que “a apuração ficará sob encargo da Polícia Rodoviária Federal”. A nota ainda afirma que “tão logo a PM receba as informações pertinentes por parte da PRF, as circunstâncias definirão se haverá ou não necessidade de instauração de procedimento apuratório por parte da Corregedoria. Até que tais circunstâncias sejam averiguadas, a PM não emitirá juízo de valor quanto a conduta do policial militar”.

SOCORRO

O policial foi atendido por uma equipe do Corpo de Bombeiros, que afirmaram que ele estava consciente. Após o primeiro atendimento no local, de acordo com informações da assessoria da PRF, o militar foi levado para o Hospital São Lucas.

 

 

Ver comentários