Notícia

Taxista fica quase uma hora trancado em porta-malas durante sequestro

Os suspeitos exigiam dinheiro da vítima e faziam ameaças dizendo que iriam matá-la

Taxista foi preso dentro do porta-malas do próprio carro durante assalto em Cariacica
Taxista foi preso dentro do porta-malas do próprio carro durante assalto em Cariacica
Foto: Bernardo Coutinho | NA

“Eles diziam o tempo todo que iriam colocar fogo no carro comigo dentro. Pensei que fosse morrer”. O relato é de um taxista de 21 anos, que sofreu um sequestro-relâmpago enquanto trabalhava, na noite desta segunda-feira (21), em Viana. Ele foi rendido por um casal de criminosos e passou cerca de 40 minutos trancado dentro do porta-malas do veículo.

O taxista conta que era por volta das 22h30, ela voltava para casa, e ao passar por uma rua deserta do bairro Industrial, foi abordado pelo casal. A vítima conta que ficou com medo de parar e ignorou o sinal dado pelos suspeitos. Porém, a mulher começou a gritar dizendo que estava passando mal e precisa de socorro até o hospital. Sensibilizado, o taxista disse que aceitou a corrida e concordou em levar o casal até o Pronto Atendimento de Arlindo Vilaschi.

“O homem jogou a mulher no banco de trás e sentou com ela. Até então, eu estava meio receoso, mas acreditei que ela de fato, estava passando mal. Assim que eu sai com o carro e comecei a andar, o bandido sacou a arma, apontou para a minha cabeça e falou que era um assalto”, detalha o taxista.

>Filho mata a mãe e atira contra o irmão em Linhares

Os suspeitos exigiam dinheiro da vítima e faziam ameaças dizendo que iriam matá-la. Quando os três se aproximavam do bairro Arlindo Vilaschi, a mulher disse que havia reconhecido o taxista e falou que era melhor matá-lo. Os criminosos ordenaram para que o taxista parasse o carro, roubaram cerca de R$ 700 dele e o colocaram no porta-malas.

“Depois disso, eles dirigiram por mais um tempo, não me lembro porque estava trancado, e pararam o carro. Ouvi eles dizendo que era para eu esperar que iriam voltar com gasolina para atear fogo no carro. Comecei a gritar desesperado”.

Taxista foi preso dentro do porta-malas do próprio carro durante assalto em Cariacica
Taxista foi preso dentro do porta-malas do próprio carro durante assalto em Cariacica
Foto: Bernardo Coutinho

MOBILIZAÇÃO

Sem se lembrar que estava com o celular escondido por baixo da camisa, o taxista relata que recebeu uma ligação de um amigo e ficou aliviado ao se dar conta de que estava com a aparelho. Ele mandou mensagem em um grupo de taxistas e contou o que havia acontecido.

Em pouco tempo, amigos e familiares do taxista se mobilizaram e iniciaram as buscas por ele. O táxi da vítima foi localizado em uma estrada de chão. Para resgatá-lo, os amigos tiveram que quebrar o para-choque do veículo e arrombar o porta-malas.

>Presa dupla suspeita de participação na morte de segurança no Centro

A Polícia Militar foi acionada e levou o taxista até a 4ª Delegacia Regional, onde a ocorrência foi registrada. O casal suspeito de cometer o crime fugiu e não foi localizado.

"IMPLOREI PARA NÃO FAZEREM NADA"

Ainda assustado, o taxista de 21 anos, assaltado e mantido refém dentro do porta-malas o carro, na noite desta segunda-feira (21), no bairro Arlindo Vilaschi, em Viana, relata que teve medo de morrer e que por conta do crime, vai mudar de profissão.

Como foi abordado?

Eu estava voltando para minha casa, em Cariacica, e quando passei pelo bairro Industrial, numa rua bem deserta, os dois praticamente se jogaram na frente do táxi.

Teve medo de parar?

Eu logo desconfiei, porque o lugar era muito deserto, sem nada. Passei direto. Mas, logo a mulher começou a gritar dizendo que estava passando mal, fiquei com pena e decidi ajudar. Disse que aceitava a corrida e cobrei R$ 20.

Depois que foi rendido, o que fizeram com você?

Eles falavam o tempo todo que queriam dinheiro. Depois a mulher disse que tinha reconhecido e que achava melhor me matarem. Pegaram cerca de R$ 700 que ia tinha no bolso. Uma parte era pagar uma dívida e a outra era o que recebi pelo dia de trabalho.

Quando o colocaram no porta-malas, o que disseram?

Que iam buscar gasolina e voltavam para colocar fogo no carro. Gritei desesperado. Implorei para não fazerem nada.

Como conseguiu pedir ajuda?

De tão nervoso, até esqueci que não pegaram meu celular. Mas, só fui lembrar dele quando um amigo me ligou. Na hora, achei que os dois pudessem estar pro perto ainda e não atendi. Depois, liguei para um amigo taxista e pedi ajuda.

O que falou?

Disse que estava trancado no porta-malas e mandei a localização de onde estava.

Quanto tempo ficou trancado?

Eles demoraram a me achar, fiquei lá dentro por uns 40 minutos. Nesse tempo, fiquei paranóico, cheguei a sentir cheiro de gasolina e a ouvir vozes do lado de fora do carro.

No que pensava?

Nos meu pais. Quando meu pai abriu o carro, não enxerguei nada na minha frente. Já estava sufocando. Depois que tudo passou, já em acsa, tive a certeza que foi um livramento de Deus. Não quero mais trabalhar com isso.

Ver comentários