Notícia

Morador de Jardim Camburi vendia drogas sintéticas pelos Correios

Renan Alvarenga, de 30 anos, fazia compras e vendas pelos Correios, negociações pela internet e comercializava drogas consideradas diferenciadas e caras em festas de classe média e alta

Morador de Jardim Camburi tinha centro de distribuição de drogas sintéticas
Morador de Jardim Camburi tinha centro de distribuição de drogas sintéticas
Foto: Fernando Madeira

A Polícia Civil desarticulou um centro de distribuição de drogas em Vitória que comprava e revendia entorpecentes para o Brasil inteiro através dos Correios. O traficante detido, de 30 anos, era morador de Jardim Camburi, na Capital. Ele também fazia negociações pela internet e vendia drogas consideradas diferenciadas e caras em festas de classe média e alta, além de cidades do litoral do Estado. 

De acordo com o delegado geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda, a operação da Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc) apreendeu na casa de Renan Alvarenga, 30, um total de 4.805 comprimidos de ecstasy, 1.766 micropontos de LSD, 1.400 quilos de skank - maconha modificada em laboratório para ficar com efeito mais potente, e 77 gramas da droga metanfetamina cristal.

O prejuízo desse criminoso é de, no mínimo, R$ 450 mil. Mas esse valor poderia chegar ao triplo. O Renan fez de Vitória um grande centro de distribuição de drogas para todo país. Ele recebia as drogas pelos Correios da região Sul do Brasil e fazia a distribuição pelo mesmo meio para todo país. A polícia também investiga o uso da rede não rastreável deep web para as vendas
Delegado José Darcy Arruda

O delegado adjunto da Denarc, Alberto Roque, explicou que, para disfarçar o cheiro do skank, Renan embalava a droga a vácuo. E todas os entorpecentes eram enviados em meio a papéis e revistas, na tentativa de não despertar desconfiança nos Correios. 

Renan Alvarenga, de 30 anos
Renan Alvarenga, de 30 anos
Foto: Divulgação | Polícia Civil

"Renan não tinha passagem pela polícia. Ele é investigado há alguns meses e, como temos imagens dele agindo nos Correios desde dezembro de 2018, acreditamos que ele atue há pelo menos quatro meses. Além dos Correios e internet, ele vendia as drogas no litoral do Estado e em festas de classe média e alta. Ele fez a lavagem do dinheiro das drogas investindo em um food truck que funcionava em uma praça de Jardim Camburi. Mas não acreditamos que ele fazia a venda de drogas no local de trabalho ou em casa", disse. 

O delegado completou que a investigação aponta que Renan poder ter contado com a ajuda de outros criminosos. A investigação segue e a polícia irá rastrear a origem das drogas e do dinheiro de Renan. O acusado foi detido no fim da tarde da última quarta-feira (20), no apartamento onde morava, em Jardim Camburi. Ele foi atuado por tráfico, associação ao tráfico, e posse ilegal de acessório e munição. 

VEJA FOTOS

Ver comentários