Notícia

Mulher morre 58 dias após ser agredida pelo ex-marido em Mimoso do Sul

O crime aconteceu no dia 16 de janeiro deste ano e, desde então, ela estava internada na Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim

Zilma Pereira Ribeiro levou uma pedrada na cabeça
Zilma Pereira Ribeiro levou uma pedrada na cabeça
Foto: Reprodução

Uma mulher, de 57 anos, morreu após ser agredida pelo ex-marido em

Mimoso do Sul

, no Sul do Estado. O crime aconteceu no dia 16 de janeiro deste ano e, desde então, ela estava internada na Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim, onde faleceu nesta sexta-feira (15). O suspeito foi preso no dia do crime e permanece no Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro.

No dia do crime, a polícia contou que foi a própria vítima quem chamou os militares. Zilma Pereira Ribeiro contava ao telefone que seu ex-marido estava na porta de sua residência a ameaçando e tentando quebrar o cadeado para entrar.

De repente, durante o chamado, foi possível ouvir um estrondo e gritos da vítima. Em seguida, a ligação caiu. Segundo a polícia, imediatamente uma viatura foi para o local. Os militares encontraram a mulher caída no chão dentro da casa, com um ferimento na cabeça e uma pedra ao lado.

> Justiça condena à pena máxima jovem que matou ex com canivete no ES

Testemunhas que estavam no local do crime disseram à polícia que a mulher possuía medida protetiva contra o ex-companheiro e que, após ouvirem os gritos da vítima, saíram para ver o que estava acontecendo e viram quando o homem fugiu assustado, em uma bicicleta.

Logo após o fato ela foi levada para o hospital de Mimoso, mas devido à gravidade foi encaminhada para a Santa Casa de Misericórdia. O agressor, identificado como José Herculano da Silva, foi preso cerca de 1h mais tarde no bairro Morro da Palha.

Ele foi autuado por tentativa de feminicídio e encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) do município. O delegado Rômulo Carvalho informou que vai encaminhar o laudo cadavérico para o Ministério Público para modificar o crime para feminicídio.

Ver comentários