Entrevista

Mulher que deu vassourada em agressor revela como salvou aluna na Ufes

Uma servente de 25 anos conseguiu impedir uma tragédia dentro da Universidade Federal do ES, quando um aluno de Física tentava esganar uma estudante de Arquitetura

Eduardo Dias

A jovem que salvou uma universitária na manhã desta terça-feira (12), em Vitória, ao dar uma vassourada na cabeça do agressor da vítima, contou à reportagem como o crime ocorreu. Ela, que tem 25 anos e trabalha como auxiliar de limpeza na Universidade Federal do Espírito Santo, revela o momento em que encontrou a estudante de Arquitetura sendo esganada por um aluno do curso de Física,  no campus de Goiabeiras. 

A ENTREVISTA

Pelo amor de Deus, me ajuda! Por favor, me ajuda!
Gritos da vítima

Como tudo começou?

Eram 6h30 quando eu passei pelo refeitório da universidade, que está abandonado. Eu o avistei (o agressor) sentado e, quando passei, ele ficou me encarando.

Você temeu ser uma vítima?

Sim. Eu tive muito medo porque ele me encarou, mas eu continuei firme e percebi que ele estava observando o local que eu estava indo. Quando cheguei do outro lado da rampa, avisei uma funcionária que tinha um homem suspeito no refeitório e pedi que ela não fosse para o lado de lá, mas ela não me ouviu e foi. Com medo de que acontecesse algo com ela, fui atrás para saber se ele faria alguma coisa.

Ele chegou a fazer alguma coisa com essa funcionária?

Não. Mas por ter ido atrás dela (funcionária), eu vi que ele (agressor) havia saído de uma das salas onde os alunos têm o costume de se reunir. Neste momento, ele deu a volta no refeitório e atacou a menina (vítima) pelas costas.

Como foi o momento da agressão?

Ele chegou por trás dela (vítima), a levantou de onde estava sentada e já começou a puxar e tentar enforcar a moça que gritava: "Pelo amor de Deus, me ajuda. Por favor, me ajuda”.

O que você fez?

Eu não pensei muito, sabia que precisava ajudar e não a deixaria ali. Foi então que bati nele com o cabo da vassoura que estava comigo. Bati nas costas com intenção de fazer ele parar com toda aquela agressão, mas foi em vão, ele não parava. Vendo a moça naquela situação, eu saí correndo. Ela acabou pensando que eu fosse embora, e gritou: "Volta, volta, pelo amor de Deus, não me deixe aqui sozinha". Mas eu disse que buscaria ajuda. Vi um aluno que estava chegado e gritei por socorro.

Volta, volta, pelo amor de Deus, não me deixe aqui sozinha!

O aluno atendeu ao pedido de socorro?

Sim. Ele veio correndo e começou a dar vários socos na cabeça e nas costas do agressor. Depois de muitos socos e empurrões, finalmente ele soltou um pouco a moça que conseguiu correr.

As agressões pararam neste momento?

Não. Apesar de ter conseguido correr dele, ele foi atrás dela e conseguiu pegá-la pelo pescoço de novo. Mas eu já estava ligando para o meu encarregado e avisei o que estava acontecendo. Em seguida, um segurança chegou armado e o agressor finalmente largou a moça e se sentou no chão até a chegada da polícia.

O agressor ameaçou vocês?

Não. Isso me assustou. Ele ficou durante todo o tempo sério e muito calado, não disse uma só palavra. Ele estava focado apenas em apertar o pescoço da moça.

Como foi para você vivenciar tudo isso?

Horrível. Não consigo pensar em outra palavra que não seja horrível.

O que vocês fizeram depois de conseguir livrar a vítima do agressor?

Eu levei a moça para a enfermaria. Eu precisava cuidar dela, saber se ela ficaria bem.

Agora estou muito feliz vendo que a moça está bem e fora de perigo. Agradeço a Deus pelo livramento que nós tivemos
Jovem que deu vassourada em agressor e buscou por ajuda

UNIVERSITÁRIO FOI AUTUADO E PRESO

Foto: Divulgação

O estudante Deivid Pereira, acusado de atacar a estudante, foi autuado por tentativa de homicídio. A informação foi confirmada pela Polícia Civil, que informou que o agressor foi autuado em flagrante e encaminhado para o Centro de Triagem de Viana (CTV). Deivid cursava Física, também na Ufes.

Ver comentários