Notícia

Traficante camuflado mostra arma em mata de Vitória

De acordo com a Polícia Militar à TV Gazeta os criminosos são os mesmos integrantes de facções criminosas do Bairro da Penha

Tudo monitorado, tudo monitorado

”É assim que um traficante fala em um vídeo gravado por ele mesmo, em uma mata do Morro da Conquista, na região de São Pedro, em Vitória. Com roupa camuflada, uma arma e um rádio comunicador nas mãos, o criminoso mostra como é o "trabalho" de monitoramento dos morros. O vídeo que está circulando nas redes sociais foi descoberto em um celular apreendido pela Polícia Militar.

E não é o único. Em outros vídeos divulgados em redes sociais e descobertos pela PM, criminosos ostentam armas em becos das regiões da Grande São Pedro e da Grande Santo Antônio.

De acordo com a Polícia Militar à TV Gazeta, os criminosos são os mesmos integrantes de facções criminosas do Bairro da Penha que estão invadindo morros da Capital, matando também inocentes. O último caso aconteceu em Caratoíra, quando o pintor Jorge Luiz Viana da Silva, de 56 anos, foi assassinado a tiros no meio da rua. A outra vítima, um rapaz de 21 anos, foi ferida com um tiro no ombro.

Segundo o delegado Fabrício Dutra, do Departamento Especializado em Narcóticos (Denarc), o criminoso que aparece no vídeo no meio da mata estava preso, mas foi solto em uma saidinha e não voltou mais para a prisão. “Ele se associou a uma facção criminosa de Vitória. E expõe a forma de trabalhar no crime, por meio de vídeos. Mas a hora dele está chegando”, ameaçou o delegado.

Não é a primeira vez que esse tipo de exposição nas redes sociais acontece. Recentemente, no celular de um adolescente apreendido, a polícia encontrou uma foto em que seis homens aparecem altamente armados, com fuzis e com roupas camufladas no meio de uma mata. A apreensão do adolescente aconteceu no Morro da Conquista, mesma região em que o traficante diz estar no vídeo acima.

POLÍCIA MONITORA REDES SOCIAIS 

O delegado deixou claro que a Polícia Civil está de olho nos perfis dos criminosos que ostentam em redes sociais e também espera a ajuda da população para prendê-los.

“É uma nova geração de criminosos, que gostam de se exibir. Utilizam a tecnologia que a gente no geral utiliza e isso até nos ajuda. Ou eles param ou o caminho é um só, a prisão. Ou ainda algo pior (a morte). A população pode ajudar por meio do Disque-Denúncia, no 181”, declarou Fabrício Dutra.

De acordo com o delegado, as polícias Civil e Militar têm feito o trabalho, além da Polícia Federal, nas fronteiras do Brasil. No ano passado, só a Denarc apreendeu 80 armas de fogo. Neste ano já foram 10 armas apreendidas e 30 traficantes presos.

“Agora estamos trabalhando com tecnologias para atuar de forma mais efetiva, com o investimento que está sendo feito”, finalizou.

Com informações de André Falcão

Ver comentários