Notícia

Traficante matou todos os rivais para dominar venda de drogas na Serra

De acordo com a polícia, Felipe e comparsas entravam vestidos de policiais e matavam as vítimas na frente dos familiares

Felipe foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana
Felipe foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana
Foto: Divulgação | Polícia Civil

Um dos dez criminosos mais procurados do Estado foi preso na tarde desta terça-feira (12) no bairro Jardim Carapina. Considerado também o homicida mais procurado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do município, Felipe Xavier da Conceição, de 23 anos, matou todos os rivais para dominar a venda de drogas no bairro onde morava.

Ele já era monitorado há pelo menos seis meses pela polícia. De acordo com o titular da DHPP da Serra, Rodrigo Sandi Mori, Felipe era chefe do tráfico no bairro desde 2015 e, como havia vários chefes dominando a venda de drogas em Jardim Carapina, por ser um bairro grande, ele executou todos eles.

 

“O Felipe era atual frente do tráfico. Era o mais procurado da DHPP da Serra há um ano. Tem dois mandados de prisão: um por um duplo homicídio e outra tentativa ocorridos em 29 de maio de 2018 e um mandado de prisão preventiva por tráfico. Ele é investigado por mais cinco homicídios, entre 2015 e 2018, todos no bairro Jardim Carapina”, declarou.

Leia também

O caso do dia 29 de maio de 2018 aconteceu em Divinópolis, também na Serra. Isso porque os rivais de Felipe fugiram para o bairro e os criminosos foram até eles. Nesse caso, Felipe foi mandante e os dois executores já estão na cadeia.

BANDIDOS SE PASSAVAM POR POLICIAIS

De acordo com as investigações da Polícia Civil, o modo de agir de Felipe era sempre parecido em todos os homicídios em Jardim Carapina. Os criminosos e outros traficantes chegavam vestidos de policiais militares, para poder ter acesso e arrombar a casa dos familiares e encontrar os rivais.

“Às 3 horas da manhã, ele sempre à frente de outros indivíduos fortemente armados, vestidos com roupas de polícia, invadiam as residências das vítimas, arrombando as portas e executando (as vítimas) com mais de cinquenta disparos na frente da família”, declarou.

Felipe sempre mudava de carro e de residência e, apesar do monitoramento ser feito há cerca de seis meses, a polícia teve dificuldades para encontrá-lo. “Tínhamos a informação de que ele estava frequentando uma residência no bairro Jardim Carapina, onde também funciona uma oficina. Ontem (terça) ele esteve nesta oficina, fomos até o local. Fizemos um cerco. Quando ele tentava fugir pelo mato foi surpreendido, jogando a arma no chão. Ele foi conduzido e já está no Centro de Triagem de Viana”, relatou o delegado.

Com Felipe foi apreendida uma arma Glock .40, adaptada para dar rajadas, além de mais de vinte munições intactas. O homicídio mais recente que Felipe é investigado aconteceu em 15 de fevereiro do ano passado.

Arma encontrada com Felipe no momento da prisão
Arma encontrada com Felipe no momento da prisão
Foto: Divulgação | Polícia Civil

Para a Polícia Civil, Felipe disse que só falaria em juízo. Já a defesa declarou para o Gazeta Online que Felipe Xavier "nega de forma veemente as acusações de que ele tenha participado ou executado qualquer homicídio no município da Serra e afirma que provará sua inocência durante os inquéritos policiais e eventuais processos judiciais existentes e que venham a surgir." 

EXPULSÃO DE FAMÍLIAS

A expectativa agora é que as famílias das vítimas denunciem os crimes. Segundo a Polícia Civil, Felipe também é responsável pela expulsão de famílias do bairro Jardim Carapina por causa do tráfico de entorpecentes.

“É um indivíduo que intimida a população e familiares. Muitos tiveram medo de prestar depoimento, porque ele estava solto. Por isso eu peço a essas famílias que venham prestar depoimento, porque com ele preso não tem como intimidar as famílias. Queremos fazer Justiça. Pedimos a colaboração não só dessas famílias, mas aquelas que foram expulsas do bairro, para que possam retornar para suas casas”, declarou.

As famílias de vítimas ou que foram expulsas podem procurar a DHPP da Serra, que fica na Rua Odisséia Neves Gabrielli, em frente ao Terminal de Carapina.

Ver comentários