Notícia

Após briga, diarista é morta pelo namorado em Vila Velha

Maria Aparecida Viana de Souza foi estrangulada pelo companheiro. A filha da diarista, de 21 anos, estava em casa e dormia no momento do crime

A diarista Maria Aparecida Viana de Souza, de 44 anos, foi morta pelo namorado
A diarista Maria Aparecida Viana de Souza, de 44 anos, foi morta pelo namorado
Foto: Reprodução

Uma diarista de 44 anos foi morta pelo namorado, na madrugada desta terça-feira (23), por volta das 4 horas da manhã, dentro de casa, no bairro Santa Rita, em Vila Velha. Maria Aparecida Viana de Souza foi estrangulada pelo companheiro, Girlandio Souza, 31 anos, depois de uma briga do casal motivada por ciúmes. 

A filha da diarista, de 21 anos, estava em casa e dormia no momento em que tudo aconteceu. A jovem e a mãe foram dormir no mesmo horário, mas a filha não escutou a discussão do casal durante a madrugada. A jovem foi acordada pela polícia, e encontrou a mãe morta na cama do quarto.

O CRIME

À Polícia Civil, Girlandio contou que ele e Maria Aparecida passaram a madrugada discutindo por conta de ciúmes da companheira. Segundo ele, no meio da briga, eles estavam na cozinha quando a mulher o agrediu com um tapa no rosto. Girlandio, então, empurrou a diarista contra a parede e começou a apertar o pescoço dela. Maria Aparecida desmaiou e o companheiro a levou para o quarto, colocando-o na cama.

> Morador de rua é morto a socos e chutes em Vila Velha

Algum tempo depois, a mulher acordou e tentou agredir o companheiro mais uma vez. Dessa vez, Girlandio apertou o pescoço da mulher ainda com mais força e por mais tempo. Maria Aparecida apagou e não recobrou a consciência. Foi então que o criminoso chamou o Samu, que constatou a morte da mulher.

Mal súbito

Inicialmente, durante o depoimento, o acusado chegou a dizer que a mulher morreu por conta de um mal súbito. Segundo Girlandio, durante discussão ele empurrou a mulher, que bateu na parede e caiu no chão passando mal, como se estivesse sufocando. O homem então teria tentado socorrer a namorada mas, como ela não reagia, foi preciso chamar o Samu

Girlandio foi levado para o Departamento Especializado de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), onde prestou depoimento. Ele foi autuado por homicídio qualificado, motivo fútil, asfixia e feminicídio. Girlandio será encaminhado para o Centro de Triagem de Viana.

Com informações de Mayra Bandeira

Ver comentários