Notícia

Polícia conclui inquérito sobre morte de vidraceiro dentro do Hucam

Embora o laudo cadavérico aponte asfixia mecânica como causa da morte, o Ministério Público devolveu o inquérito para a polícia, solicitando novas diligências

Emerson Antônio dos Reis morreu no Hucam
Emerson Antônio dos Reis morreu no Hucam
Foto: Reprodução/Facebook

A polícia concluiu o inquérito sobre a investigação da morte do vidraceiro Emerson Reis, de 43 anos, dentro do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam), em Maruípe, Vitória, em outubro de 2018. Mas embora o laudo cadavérico aponte asfixia mecânica como causa da morte, o Ministério Público devolveu o inquérito para a polícia, solicitando novas diligências.

O caso aconteceu na madrugada do dia 12 de outubro de 2018. Na época, investigadores da Polícia Civil informaram que Emerson teria gritado que estava sendo perseguido e chegou a exigir a arma de um vigilante armado. Ao ser ameaçado de ir preso, o vidraceiro correu em direção ao prédio de dermatologia, que estava trancado naquele horário.

> Investigador de polícia aposentado é condenado no ES por corrupção

Na versão dada por um vigilante, Emerson teria tentado quebrar o vidro da porta. Ele teria entrado no local e se jogado de cabeça de uma janela, caindo sobre um banco. Os seguranças o levaram para o ponto-socorro, mas Emerson já deu entrada morto.

No dia da morte, familiares de Emerson contestaram a versão dada pelo hospital, afirmando que não acreditavam que o vidraceiro havia se jogado da janela. No laudo cadavérico de Emerson, os peritos apontam a causa da morte como “asfixia mecânica por compressão extrínseca de vias aéreas”.

A família está muito abalada porque apesar de nunca terem acreditado na versão dos seguranças do hospital, ter certeza traz um abalo. Mas ao mesmo tempo dá um certo alívio porque as respostas estão vindo, mostrando que o Emerson foi vítima de um homicídio. Agora iremos esperar a promotoria se posicionar sobre a denúncia, já que será preciso fazer algumas diligências
Advogado Romerito Oliveira, que acompanha o caso a pedido da família de Emerson

Procurada, a Polícia Civil informou que o inquérito foi concluído e o Ministério Público mandou de volta solicitando novas diligências. "Está sendo averiguado a incidência de homicídio culposo", disse a PC, por meio de nota.

SEGURANÇAS AFASTADOS

Já o Hucam, disse por nota que desde o dia do caso afastou os seguranças envolvidos e vem colaborado com as investigações policiais, fornecendo informações e imagens de circuito de monitoramento.

> Universitário baleado por PM no ES tem 10% de chance de voltar a andar

"O Hospital se solidariza com a família de Emerson Reis. Diante dos fatos apresentados, o Hucam tomará de imediato todas as medidas cabíveis em contrato com a empresa terceirizada, inclusive o afastamento de todos os seguranças envolvidos na investigação. Concomitantemente, um termo de referência já foi confeccionado para contratação de uma nova empresa de segurança", disse a nota.

Ver comentários