Notícia

Preso acusado de vender metanfetamina a universitários em Jardim da Penha

Além das drogas encontradas no apartamento, a polícia também encontrou maquinas de cartão de crédito e débito e, ao ser preso, Guilherme alegou que todo o material era utilizado apenas como produtos de limpeza

O traficante Guilherme Terra Gomes, de 25 anos, conhecido como "Gordinho do MD", sigla para metanfetamina, foi preso em Jardim da Penha nesta terça-feira (16)
O traficante Guilherme Terra Gomes, de 25 anos, conhecido como "Gordinho do MD", sigla para metanfetamina, foi preso em Jardim da Penha nesta terça-feira (16)
Foto: Mayra Bandeira

Foi preso nesta terça-feira (16), após buscas intensas da polícia, o traficante que se identificou como vendedor de roupas plus size, Guilherme Terra Gomes, de 25 anos, conhecido como "Gordinho do MD", que é a sigla para metanfetamina. Ele era procurado desde o ano passado após uma denúncia, e foi encontrado no apartamento em que mora no bairro Jardim da Penha, em Vitória, onde também foram encontrados vários tipos de drogas.

As informações sobre a prisão de Guilherme foram passadas durante coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (17). A polícia explicou que foi encontrado no apartamento dele material para embalo de loló, comprimidos de LSD, embalagens com a droga MD (metanfetamina) e maconha. Além das drogas, a polícia também encontrou maquinas de cartão de crédito e débito e, ao ser preso, Guilherme alegou que todo o material era utilizado apenas como produtos de limpeza.

O traficante Guilherme Terra Gomes, de 25 anos, conhecido como "Gordinho do MD", sigla para metanfetamina, foi preso em Jardim da Penha nesta terça-feira (16)
O traficante Guilherme Terra Gomes, de 25 anos, conhecido como "Gordinho do MD", sigla para metanfetamina, foi preso em Jardim da Penha nesta terça-feira (16)
Foto: Divulgação/Polícia Civil

PÚBLICO ALVO

A droga, segundo a polícia, seria distribuída para estudantes do ensino médio e universitários da região de Jardim da Penha e o público alvo do Gordinho do MD eram adolescente e jovens de 12 até 18 anos. A denúncia sobre o tráfico realizado por ele foi feita no ano passado e, desde então, a polícia começou um trabalho de busca.

Na coletiva, a polícia disse que o traficante trabalhava com redes sociais, principalmente Instagram, para realizar as vendas. O trabalho de buscas por Guilherme foi dificultado devido à grande movimentação do acusado, que permanecia em um apartamento por três meses e se mudava, justamente para despistar a ação, já que nos locais em que ele morou sempre houve muita movimentação.

MISTURAS PERIGOSAS

Além do tráfico, o delegado alertou para o perigo das drogas que o Gordinho do MD vendia, sendo que ele adicionava outro produtos no material, como gás de isqueiro, que é um produto altamente corrosivo e prejudicial à saúde, como afirmou a polícia, além de poder causar convulsões e até levar à morte.

SEGUNDA PRISÃO

Está não é a primeira vez que o traficante é preso. Em junho de 2016 ele foi flagrado em um ônibus, viajando com drogas que venderia em uma festa rave em Afonso Cláudio. Guilherme foi solto, estava respondendo processo, mas foi preso novamente nesta terça.

 

 

Ver comentários