Notícia

Bandido se passa por médico e tenta aplicar golpe em hospital no ES

Por meio de ligações telefônicas, criminosos entraram em contato com a acompanhante de um paciente que estava internado no local, e tentaram extorquir R$ 4 mil para a realização de um exame; polícia investiga o caso

Foto: Eduardo Dias | Arquivo | CBN Vitória

O golpe é velho, mas continua fazendo vítimas no Espírito Santo. Estelionatários se passam por médicos para extorquir dinheiro da família de pacientes internados. Em um caso recente registrado pela TV Gazeta, por meio de ligações telefônicas, criminosos contactaram um hospital particular de Vitória, ligaram para o quarto de um paciente, e a acompanhante do paciente que estava no local atendeu. De acordo com reportagem exibida pelo telejornal ES 2 nesta quinta-feira (2), a primeira ligação foi de uma mulher,  que dizia ser secretária do médico do paciente.

De acordo com a reportagem, ela tinha todas as informações sobre exames e procedimentos que o paciente havia feito, e avisou que o médico ligaria em instantes. Acreditando que realmente poderia ser a secretária do profissional, a acompanhante passou o número do celular e, minutos depois, recebeu um novo telefonema, desta vez no aparelho móvel. O homem do outro lado da linha se dizia médico.

> Golpe do carro quebrado: crime antigo ainda faz vítimas

Na ligação, ela foi informada que o exame, que realmente foi feito no paciente, tinha revelado um câncer de pulmão. A acompanhante, que acreditava estar falando com o médico porque ele tinha muitos detalhes, ficou abalada — mas começou a desconfiar quando o homem disse que seria preciso fazer um depósito de R$ 4 mil na conta de um laboratório para começar o tratamento de quimioterapia.

Ao ser desmascarado na própria ligação pela acompanhante, o homem disse que recebia as informações de uma enfermeira do hospital. Na ligação, o golpista diz que "nem adianta denunciar à polícia". No entanto, o caso está sim sendo investigado pela Delegacia de Defraudações (Defa) de Vitória. A polícia apura, inclusive, a possibilidade de envolvimento de funcionários do hospital.

> Suspeito de fazer arrastão é morto após série de assaltos em Cariacica

No telefonema, o criminoso chega a debochar da vítima. "A senhora é esperta, foi muito inteligente, desenvolveu aí a intelectualidade da senhora, que bom. Se outras pessoas não desenvolvem, se outras pessoas são burras... O que a senhora tem a ver com isso?" indaga.

OUÇA A LIGAÇÃO

Gravação feita após o criminoso ser desmascarado pela própria vítima

O criminoso ainda critica e revela que, quem passou informações pessoais e sigilosas do paciente, foi a própria equipe de enfermagem do hospital. "Esse povo da enfermagem aí tem que parar de querer ganhar dinheiro, pegar mil conto, quinhentos reais, porque a enfermeira aí pegou quinhentos reais meu, quero recuperar meu dinheiro", diz.

De acordo com a delegada Rhaiana Bremenkamp, outras pessoas já foram vítimas do mesmo golpe aqui no Estado. Ela afirma que, geralmente, o telefonema é feito por pessoas que estão presas, em outros Estados. 

É sempre bom manter a calma recebendo esse tipo de ligação. Vá até o hospital, confirme a informação de forma física e muito cuidado com esse depósito em conta de pessoa física. Nenhum hospital vai solicitar isso. Realmente é golpe
Rhaiana Bremenkamp

O QUE DIZ O HOSPITAL

A Unimed Vitória disse que age de forma preventiva com cartazes nas unidades alertando para este tipo de golpe e reforça, ainda, que médicos e funcionários nunca pedem depósitos em conta corrente para realização de procedimentos. A cooperativa disse que todas as providências em relação ao caso já estão sendo tomadas, e que está contribuindo com a investigação da polícia.

Ver comentários