Notícia

Caso Kauã e Joaquim: pastor George vai a júri popular e Juliana é absolvida

A decisão de 27 páginas também informa que George não poderá recorrer em liberdade

Foto: Marcelo Prest | Arquivo | GZ

O pastor Georgeval Alves será levado a júri popular pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, estupros de vulneráveis e tortura. A pastora Juliana Salles, que havia sido denunciada pelos mesmos crimes na forma omissiva foi absolvida pela Justiça. A decisão é do juiz André Bijos Dadalto da 1ª Vara Criminal de Linhares, divulgada nesta quinta-feira (2).

> Babá conta detalhes da relação com a família

Os irmãos Kauã Salles Butkovsky, 6 anos, e Joaquim Salles Alves, 3 anos, foram estuprados e queimados ainda vivos em 21 de abril de 2018, no crime que chocou o Espírito Santo.

Trecho de decisão de juiz sobre o caso Kauã e Joaquim

A decisão de 27 páginas confirma que apenas o pastor George, como era conhecido, vai a júri popular. Ele responderá pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, estupros de vulneráveis e tortura.

Trechos da decisão do juiz sobre o caso Kauã e Joaquim

Quanto às acusações de fraude processual, tanto Georgeval quanto Juliana foram absolvidos.

Trechos da decisão do juiz sobre o caso Kauã e Joaquim

Em entrevista ao Gazeta Online, Síderson Vitorino, advogado que representa a família de Kauã Salles Butkovsky, comentou a sentença: “Embora não tenhamos sido intimados ainda, tomamos conhecimento da sentença e vamos analisar cada uma das 27 laudas para definir os próximos passos do assistente de acusação neste processo”, explicou.

> CASO KAUÃ E JOAQUIM | A cobertura completa

Ao Gazeta Online, o Ministério Público do Espírito Santo, por meio da Promotoria de Justiça de Linhares, disse que foi notificado da decisão nesta quinta-feira (2) e que vai analisar as providências a serem adotadas, mas não informou se vai ou não recorrer da decisão.

Ver comentários