Notícia

Mulher se recusa a entregar celular e leva 'gravata' de bandido no ES

Vítima foi rendida por dois adolescentes, no bairro Jardim Colorado. Um PM de folga, que passava pela rua, viu a cena e deu voz de prisão aos criminosos.

Cuidadora de idoso sofreu uma tentativa de assalto, mas resistiu e conseguiu ficar o celular
Cuidadora de idoso sofreu uma tentativa de assalto, mas resistiu e conseguiu ficar o celular
Foto: Bernardo Coutinho

Dois adolescentes, de 15 e 17 anos, foram flagrados por um policial militar de folga, assaltando uma mulher de 55 anos, no bairro Jardim Colorado, em Vila Velha. Era por volta das 17 horas, momento em que a vítima, uma cuidadora de idosos, foi surpreendida e agredida pelos suspeitos. Ela voltava para casa, após o trabalho.

> Mulher de 18 anos herda da mãe comando do tráfico em Cariacica

A cuidadora contou que seguia a pé para casa e logo após passar pela Praça de Jardim Colorado, foi rendida pelos ladrões. "Eu atendi uma ligação de um amigo e quando eu ia guardar o celular na bolsa, eles apareceram de moto. O cara desceu e já foi falando comigo: perdeu, perdeu. Entrega o celular’”.

Leia também

A vítima revela que se recusou a entregar o celular e foi então que o suspeito mais novo a agrediu com uma gravata. Segundo a cuidadora, enquanto a segurava pelo pescoço, o adolescente tentava com a outra mão, tomar o celular dela. Assim que conseguiu pegar o aparelho, o adolescente correu para a moto, para tentar fugir.

Um PM de folga, que passava pela rua, viu a cena e deu voz de prisão aos criminosos. A prisão dos adolescentes chamou a atenção de moradores e de quem passava pelo bairro na hora. No meio da confusão, um homem teria agredido um dos jovens com um chute na cabeça. O jovem foi socorrido pela Polícia Militar, levado para o hospital e depois para a delegacia.

A dupla foi encaminhada para a 2ª Delegacia Regional, onde foi autuada por roubo. Após o susto a cuidadora de idosos disse que só reagiu ao assalto porque teve certeza de que os suspeitos não estavam armados.

> Polícia investiga assassinato de menina de 14 anos em Colatina

“Só me neguei a entregar o celular depois de ter certeza que não estavam armados. Falei que não iria entregar pois era fruto do meu trabalho, comprei com muito suor. Apesar dele ter me agredido, falei com a mãe do rapaz que o perdoava, que o filho dela ainda tem salvação e os convidei para conhecer a minha igreja. Não guardo rancor”, ressaltou a vítima.

> Confusão em bar termina em morte na zona rural de Linhares

Ver comentários