Notícia

Suspeito de matar universitária ao buscar bolo em Vila Velha é preso

Com mais de dez mandados de prisão em aberto, Marcos Antônio Rodrigues Galdino, vulgo Neco, estava na lista dos mais procurados no ES

Thaís de Oliveira Rodrigues foi assassinada em agosto de 2018
Thaís de Oliveira Rodrigues foi assassinada em agosto de 2018
Foto: Redes sociais

Um dos suspeitos de matar a universitária Thais de Oliveira, 23, que foi baleada enquanto buscava um bolo para o aniversário da mãe, em agosto de 2018, no bairro Morada da Barra, em Vila Velha, está na cadeia.

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Segurança (Sesp), Marco Antônio Rodrigues Galdino, conhecido como Neco, é um criminoso extremamente perigoso e é apontado como responsável por diversos homicídios na região da Grande Terra Vermelha. Ele estava na lista dos 10 criminosos mais procurados do Estado. 

> "A gente não dorme e não esquece", diz mãe de universitária morta em carro

Segundo o comandante da 13ª Companhia Independente da Polícia Militar de Jabaeté, major Walter, Neco estava armado e vestia um colete à prova de balas. “O Neco trocou tiros com esse grupo rival. Em meio ao tiroteio, ele levou um tiro no pé e outro atingiu o colete, bem no meio do peito. O equipamento segurou a bala, deixando apenas um hematoma no corpo dele”, ressaltou o major Walter.

Além de Neco, um adolescente também foi ferido e detido após o confronto. Junto com ele foram encontradas duas armas.

Militares receberam denúncias de que Neco teria sido baleado nesse tiroteio e fazia buscas pelo traficante na região. “Ele foi visto fugindo em uma moto, que era guiada por um comparsa. A ver os policiais, o Neco abandonou o veículo e correu para um matagal. Depois, invadiu uma casa e obrigou os moradores a deixarem que ele se escondesse no local”, contou o comandante da 13ª Cia.

Os militares chegaram até Neco após seguirem o rastro de sangue deixado por ele em meio ao matagal. Ao notar que estava cercado, o criminoso terminou por se entregar à polícia.

Contra Neco existem sete mandados de prisão em aberto, segundo informou o Major Walter. Entre os crimes estão tráfico de drogas e homicídios.

 

TERROR CONTRA MORADORES

Neco é conhecido por levar o terror a Morada da Barra
Neco é conhecido por levar o terror a Morada da Barra
Foto: Divulgação

Marco Antônio Rodrigues Galdino, o Neco, além de ser conhecido pelos crimes contra os rivais, também é temido pela comunidade de Morada da Barra, em Vila Velha. De acordo com a polícia, ele levava terror a moradores e comerciantes, de quem roubava e extorquia dinheiro, em troca de não sofrerem retaliações.

Quem não pagava o que Neco queria era ameaçado de morte, agredido e até mesmo expulso do bairro. “Ele também assaltava os comércios da região e depois chantageava os comerciantes para devolver o que era roubado. Temos informações também, de que o Neco invadida terrenos, na maioria vazios, e tomava posse deles” ressaltou o Major Walter, comandante da 13ª Cia Independente de Jabaeté.

Tudo isso, de acordo com a PM, era feito para levantar dinheiro para patrocinar o tráfico, comprando drogas, munição, armas e colocando combustível nos veículos utilizados para cometer crimes.

 

HERDEIRO DO CRIME

Prisão foi realizada pela 13ª Companhia da Polícia Militar de Jabaeté
Prisão foi realizada pela 13ª Companhia da Polícia Militar de Jabaeté
Foto: Bernardo Coutinho

Marcos Antônio Rodrigues Galdino, conhecido como Neco, era um dos bandidos mais procurados do Estado e herdeiro de um legado criminoso. O pai e o tio, de acordo com a polícia, são conhecidos por crimes de homicídio e tráfico de drogas na região da Grande Terra Vermelha, em Vila Velha.

Neco é sobrinho de Cleilson de Souza Teixeira, o Dé, traficante e homicida que levou o terror para a região, entre 2004 e 2008. Ele comandava uma facção criminosa conhecida como a “Gangue da Cabeça” – tinha esse nome por degolar algumas vítimas e roubar a cabeça.

Um dos casos mais chocantes foi de um homem que teve a cabeça arrancada e colocada dentro de um buraco aberto na barriga. O corpo foi encontrado numa cova rasa.

Dé era acusado de pelo menos 15 mortes. O traficante foi morto na noite do dia 01 de fevereiro de 2008, com 12 tiros, no bairro Ulisses Guimarães, em Vila Velha.

MORTE DE UNIVERSITÁRIA

Neco é identificado também no inquérito que investiga a morte da universitária Thais de Oliveira, de 23 anos, como sendo um dos autores dos disparos que atingiram a jovem.

O assassinato da universitária ganhou grande repercussão em 2018. Para a Polícia Civil, o carro onde estava a família foi confundido como sendo de rivais de Neco, chefe do tráfico de drogas do bairro.

Thais estava acompanhada da mãe, da avó e de outros três parentes – entre eles uma criança – quando o crime aconteceu. Ela morava em Ulisses Guimarães e foi à Morada da Barra para buscar o bolo confeitado para comemorar o aniversário da mãe.

Na entra da do bairro Morada da Barra,o veículo foi surpreendido pelos tiros disparados por Neco e também por Vitor Costa de Souza, o Vitinho,21, segundo a polícia.

“Thais e seus familiares foram confundidos com traficantes rivais de Vitor e Neco. Eles dispararam contra o veículo da família, atingindo Thais e outro parente. Os dois estavam no local devido a um forró que acontecia no bairro”, detalhou Janderson Lube, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher(DHPM).

A avó da estudante foi ferida de raspão. Thais foi baleada nas costas e levada para o Hospital Santa Mônica, mas não resistiu ao ferimento.

No dia seguinte ao crime, em 20 de agosto, policiais da 13ª Companhia da Polícia Militar, que atende à região onde Thais foi morta, conseguiu localizar Vitor. Ele já possuía mandando de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

Em depoimento, Vitor negou o crime, mas acabou sendo reconhecido por testemunhas. O delegado informou que contou coma ajuda da PM e também de informações do Disque-Denúncia (181).

OUTRA PRISÃO

Neco já foi preso por tráfico de drogas, mas acabou solto meses depois, voltando a levar perigo para a comunidade. Ele estava foragido desde 2015, segundo a PM.

Em janeiro de 2015, Neco foi preso em Morada da Barra, Vila Velha. Na ocasião, ele já era considerado um dos bandidos mais perigosos pela polícia capixaba, foragido da Justiça e acusado de tráfico de drogas e homicídio. Ele integrava a lista dos 10 mais procurados do município.