Notícia

Acusados de matar sindicalista em Linhares são condenados

A sentença foi proferida no final da tarde desta terça-feira (25), após dois dias de julgamento

Familiares do sindicalista comemoraram em frente ao Tribunal do Júri em Linhares a condenação dos assassinos de Edson Barcelos
Familiares do sindicalista comemoraram em frente ao Tribunal do Júri em Linhares a condenação dos assassinos de Edson Barcelos
Foto: Leonardo Goliver

Os cinco acusados de matar o sindicalista Edson Barcellos, em 2010, foram condenados pelo júri popular composto por quatro homens e três mulheres. A sentença foi proferida no final da tarde desta terça-feira (25), no Tribunal do Júri do Fórum Desembargador Mendes Wanderley, em Linhares.

O julgamento começou na manhã desta segunda-feira (24), nove anos após o crime que ocorreu em julho de 2010. No banco dos réus estavam: Ozéias Oliveira Costa, Diego Ribeiro Nascimento, Rodolpho Nascimento do Amaral Ferreira, Janes Antônio de Almeida e Rondinelli Ribeiro do Nascimento Amaral Ferreira, todos condenados com penas que variam entre 12 a 15 anos de prisão.

O julgamento foi suspenso às 19h, retomado às 9h da manhã desta terça-feira (25) e só terminou por volta das 18h. Após o fim dos trabalhos, os condenados foram encaminhados para presídios onde cumprirão a pena.

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio da Promotoria de Justiça de Linhares, informa que os cinco réus foram condenados por homicídio duplamente qualificado. Dois réus também foram condenados por crime de furto qualificado e dano qualificado. O MPES informa ainda que vai recorrer das penas fixadas.

JUSTIÇA FOI FEITA, DIZ FAMÍLIA

A viúva do sindicalista, Edma Barcellos, conversou com a reportagem logo após o fim do julgamento. Em entrevista, Edma disse que a justiça finalmente foi feita: "Nós estamos aqui com uma vitória, porque é uma vitória. Foram todos condenados, pelo que nós pudemos perceber, em todos os quesitos eles perderam unanimemente, e essa unanimidade nos dar a certeza de que a justiça existe sim, não importa o tempo, nós esperamos nove anos, mas a justiça existe, então por ela existir, está aqui sendo feita. Vamos aguardar o Ministério Público se vai recorrer ou não, mas para nós não importa quantos anos, esperamos que eles aprendam que não é tirar a vida das pessoas que leva a nada", comentou.

Edma Barcellos é viúva do sindicalista Edson Barcellos morto em julho de 2010 em Conceição da Barra
Edma Barcellos é viúva do sindicalista Edson Barcellos morto em julho de 2010 em Conceição da Barra
Foto: Leonardo Goliver

Ao ser perguntada sobre a sensação após dois dias de julgamento, Edma é enfática: "Aliviada. Eu estou buscando essa justiça há nove anos em dois processos, um de mando e outro de execução, tive a resposta do mando e Deus me deu hoje a resposta da execução, então é aliviada, com a paz no coração e sempre seguindo em frente porque Deus guia a gente", reforçou.

Após a decisão, familiares do sindicalista comemoraram em frente ao Tribunal do Júri a sentença que condenou os assassinos de Edson Barcellos.

RELEMBRE O CASO

Edson foi morto com um tiro na cabeça após ser sequestrado na porta de casa, em 6 de julho de 2010. Seu corpo foi encontrado um dia depois, próximo a uma plantação de eucalipto, e estava com as mãos e os pés amarrados, além de uma fita adesiva na boca. Jorge Donati, prefeito de Conceição da Barra na ocasião, foi apontado como mandante do crime. Ele chegou a ser preso em 2012, mas depois foi solto. Em 2016, Donati morreu de causas naturais.

A vítima atuava como secretário do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Conceição da Barra (Sindisbarra) e era presidente do DEM do município. A Polícia Civil apontou que o crime foi político, pois Edson fazia denúncias contra o então prefeito.

 

 

 

Ver comentários