Notícia

"Ela tinha medo da loucura dele", diz filha de mulher morta pelo ex na Serra

Josedia Santana Borges de Aguiar, de 65 anos, foi morta com um tiro na nuca. O ex-marido, acusado do crime, já tinha feito várias ameaças contra a vítima, segundo a família

 Josedia Santana Borges de Aguiar
Josedia Santana Borges de Aguiar
Foto: Divulgação

"Ela tinha medo dele, medo do que a loucura dele poderia fazer". A afirmação da administradora Maria da Conceição Santana Barbosa, 42 anos, revela o medo que a mãe dela, Josedia Santana Borges de Aguiar, de 65 anos, tinha do ex-marido.  A idosa foi morta com um tiro na nuca, dentro de casa, na Serra

Abatida, a filha do primeiro casamento de Josedia falou sobre as ameaças de morte que a mãe sofria e revelou que ela e os irmãos tentaram ajudar o padrasto, buscando terapia, porém ele não aceitava o tratamento.

> Mulher morre 58 dias após ser agredida pelo ex-marido em Mimoso do Sul

Quem te deu a notícia sobre a morte da sua mãe?

Minha irmã me ligou desesperada. Ela estava em casa quando ouviu os tiros. Ela disse que correu para a porta e pela grade, viu o corpo dele caído e o sangue. Na hora ela já deduziu que o Pedro tinha matado a minha mãe e se matado em seguida.

Ela era ameaçada?

Constantemente. Ela tinha medo dele, medo do que a loucura dele poderia fazer. Ela até saiu de casa, para se proteger. Mas, sabia que ele iria atrás dela onde ela fosse.

Por que os dois se separaram?

Minha mãe viu que não dava mais, queria fazer mais pela vida dela. Queria estudar, coisa que ela não pode fazer enquanto estava casada. Ela voltou para a escola, mas ele a perseguia até lá.
Maria da Conceição

Tentaram ajudá-lo?

De todas as formas...conversas, apelos e até oferecemos ajuda com terapia. Mas, ele não aceitava. Dizia que eu é que estava louca. A loucura dele tirou a vida da minha mãe.

Como era sua mãe?

Uma mulher maravilhosa, guerreira, bondosa. Uma pessoa de fato, especial. Descobriu tarde que ainda podia fazer muitas coisas. Essa descoberta custou a vida dela.

> Aumentam os casos de estupro e feminicídio no Espírito Santo

O CRIME

Um idoso de 66 anos matou a ex-esposa e depois tirou a própria vida, no final da noite de domingo, em Morada de Laranjeiras, na Serra. De acordo com a família do casal, o aposentado Pedro Machado de Aguiar não aceitava o fim do casamento e assassinou a ex-companheira Josedia Santana Borges de Aguiar, de 65 anos, com um tiro na nuca. Os dois viveram juntos por 40 anos e estavam separados há dois anos.

Ainda não se sabe qual a dinâmica do crime. Pela posição em que os corpos estavam, familiares acreditam que Josedia foi surpreendida pelo ex-marido quando chegava em casa, por volta da meia noite.

Quem encontrou os corpos da mãe e do padrasto foi a filha da dona de casa, após escutar o barulho dos tiros. Apesar de estarem separados, Josedia e Pedro ainda moravam no mesmo terreno. “Minha mãe morava na casa da frente e ele nos fundos, numa casa de dois andares. O Pedro vivia no segundo andar e minha irmã no andar debaixo”, explicou a administradora Maria da Conceição.

Maria da Conceição contou que a mãe havia ido a um encontro do grupo da terceira idade que Josedia participava, em um centro de convivência do bairro. Ao voltar para casa, ela foi morta por Pedro, que deu um tiro na própria cabeça em seguida.

A família não sabe onde o aposentado, que foi descrito como um homem tranquilo e calado, conseguiu o revólver calibre 38 usado no crime. Sobrinho de Pedro, o comerciante Ailton Machado, 33 anos, que morou com o casal por cerca de 8 anos, disse que o tio tinha pavor de armas. Por isso, a notícia da morte dos tios chocou toda a família.

Local em que o idoso Pedro Machado matou a esposa Josedia Santana e depois cometeu suicídio em Morada de Laranjeiras
Local em que o idoso Pedro Machado matou a esposa Josedia Santana e depois cometeu suicídio em Morada de Laranjeiras
Foto: Bernardo Coutinho

AMEAÇAS

Apesar do choque causado pela tragédia, Maria da Conceição, filha do primeiro casamento de Josedia, revelou que algo de ruim já era esperado pela família, por conta das ameaças que o padrasto fazia à ex-mulher. “Ele não aceitava a separação de jeito nenhum. Ela tinha muito medo dele. Tentou se afastar e resolver tudo de forma mais amigável, mas ele não entendia. Ele dizia que um dia iria matá-la e depois se matar. A gente meio que esperava que algo ruim pudesse acontecer”.

Maria da Conceição relata ainda que por medo das ameaças do ex-marido, Josedia foi morar com o filho em São Mateus, no Norte do Estado, no início deste ano. Ela ficou lá por dois meses, mas decidiu voltar para a Serra. Antes de retornar ao imóvel onde morava, a idosa ainda ficou alguns dias na casa de uma das filhas.

Ela disse que não podia fugir mais. Que essa fuga estava matando ela aos poucos. Apesar do medo, no fundo ela tinha esperanças de que ele não levasse as ameaças a diante
Maria da Conceição

COMOÇÃO NO BAIRRO

A morte de Josedia causou comoção no bairro onde o casal vivia. Vizinhos contaram que Josedia era muito querida no bairro e a descreveram como uma pessoa alegre, carinhosa e que gostava de ajudar a todos. A idosa trabalhava junto com uma das filhas em uma casa de repouso que ela ajudou a fundar.

Foi Josedia quem doou o terreno onde o asilo foi construído. Com medo da reação dos idosos que vivem no local, até o final da manhã de ontem, administração da casa ainda não havia dado a notícia da morte dela aos internos.

“Todo mundo gostava da minha tia. Ela era uma pessoa muito alto astral e que gostava de viver. Não tinha tempo ruim, ajudava quem precisasse. Ela já está fazendo muita falta”, desabafou o comerciante Ailton Machado, sobrinho do casal.

Josedia tinha duas filhas de uma primeira união. Após casar-se o com Pedro, o casal teve mais dois filhos. O aposentado, de acordo com a família, trabalhou durante toda a vida como comerciante.

Ver comentários