Notícia

Mortes na BR 101: dono de carreta que matou família continua foragido

Contra o empresário, há um mandado de prisão em aberto por três homicídios dolosos e uma tentativa de homicídio doloso

Dono de empresa de transporte de granito é procurado, segundo a Sesp
Dono de empresa de transporte de granito é procurado, segundo a Sesp
Foto: Divugação

O dono da carreta  que provocou o acidente que matou três pessoas da mesma família, o empresário Emmanuel Bersacola de Assis Costa, 37 anos,  continua foragido. A informação de que ele se entregaria à Divisão de Delitos de Trânsito, em Vitória, foi dada pelo advogado dele, Hocilon Rios, na noite de quarta-feira. Porém, ontem, ele não compareceu à delegacia.

>Mortes na BR 101: família de sobrevivente pede por doação de sangue

Contra o empresário, há um mandado de prisão em aberto por três homicídios dolosos e uma tentativa de homicídio doloso. Para a Polícia Civil, ele é co-autor do crime. Questionado se há previsão para que o empresário se entregue, o advogado não souber responder. “Não sei informar e não vou falar mais nada a respeito disso”, finalizou em poucas palavras.

Na quarta-feira, o motorista da carreta que carregava uma pedra de granito, Rodrigo Girardi, saiu algemado da delegacia após ser dado cumprimento do mandando de prisão contra ele. Rodrigo havia ido à unidade policial prestar depoimento acompanhado do advogado. De lá, passou pelo Departamento Médico Legal e seguiu para o Centro de Triagem de Viana, onde está detido.

>Quem são as vítimas do acidente na BR 101 na Serra

Por nota, a assessoria de imprensa da corporação informou que as investigações da Delegacia de Delitos de Trânsito prosseguem e que diligências estão sendo realizadas na tentativa de localizar o paradeiro do investigado. O resultado do exame toxicológico realizado pelo motorista Rodrigo Girardi deve sair em 30 dias. Na carreta foi encontrada uma cartela de comprimidos de remédios para tirar o sono, conhecido como rebite. 

Quem tiver informações que possam ajudar à polícia a localizar o empresário, pode repassar pelo telefone do Disque-denúncia 181.

Ver comentários