Notícia

Mortes na BR 101: polícia acredita que caminhoneiro usou rebite

No dia do acidente, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou uma cartela da substância dentro da carreta

O titular da Delegacia de Delito de Trânsito, o delegado Maurício Gonçalves da Rocha
O titular da Delegacia de Delito de Trânsito, o delegado Maurício Gonçalves da Rocha
Foto: Reprodução

Para o titular da Delegacia de Delito de Trânsito, o delegado Maurício Gonçalves da Rocha, o motorista Rodrigo Girardi Supelete, que conduzia a carreta que provocou a morte de uma família, em Chapada Grande, na BR 101, na Serra, usou rebite no dia acidente. A substância é usada para tirar o sono. 

No dia do acidente, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou uma cartela da substância dentro da carreta. "A comprovação do uso de rebite veio através de um termo de constatação de capacidade psicomotora, Foi lavrado pela PRF, sendo concluído pelos policiais que ele estava sob efeito de entorpecente no momento do acidente".

> Mortes na BR 101: defesa de caminhoneiro acredita em falha mecânica

De acordo com o delegado, o termo de constatação é um procedimento realizado pelos policiais, com fundamento no Código de Trânsito, onde o policial avalia, por meio de vários requisitos, se o investigado possui sinais que vão atestar a alteração da capacidade psicomotora, como por exemplo, se os olhos estão vermelhos, se há noção de onde está, entre outros.

CNH SUSPENSA NO ANO PASSADO

O motorista teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por excesso de velocidade no ano de 2018, de acordo com o delegado. "Foi verificado por nós que em 2018 ele cumpriu uma suspensão de sua habilitação por uma multa que tem previsão de suspensão direta, que é excesso de velocidade acima de 50% do limite previsto pra via".

O QUE DIZ O DELEGADO

Além da suspensão, o delegado afirma que Rodrigo possui várias outras multas por excesso de velocidade. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acredita que o excesso foi o fator primordial para causar o acidente

ACIDENTE EM 2015

Em 2015, de acordo com Maurício, Girardi se envolveu em um outro acidente, transportando uma pedra de granito. Na época, ele tombou com uma carreta na localidade de Pancas. Somente ele e o passageiro ficaram feridos. Não houve óbito. 

PRISÃO

O motorista foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva pelo crime de triplo homicídio doloso e uma tentativa de homicídio doloso. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Rodrigo se apresentou à polícia nesta quarta-feira (12), onde prestou depoimento durante a tarde, na Delegacia de Delitos de Trânsito, acompanhado de dois advogados. No local, por volta das 15h15, o acusado informou que sofreu escoriações durante o acidente.

> Empresa responsável por transporte de pedra amanhece fechada

Por este motivo, o delegado Maurício Gonçalves da Rocha o encaminhou ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. Às 16h05, Rodrigo retornou à delegacia, onde foi ouvido. Após duas horas de depoimento, ele foi preso. 

O vídeo abaixo, registrado pela repórter Elis Carvalho, mostra o momento em que a polícia tira fotos do acusado para anexá-las ao inquérito.

AS VÍTIMAS

No acidente morreram Ozineto Francisco Rodrigues, de 38 anos, Danielli Martins, de 34 anos, Lucca Martins Rodrigues, de 1 ano e 4 meses. A outra vítima, Gabriel Martins, de 11 anos, foi socorrida e encaminhada para o Hospital Infantil de Vitória, onde permanece internada em estado grave. A família voltava de uma viagem que fizeram ao Nordeste.

Os corpos foram velados na Igreja Assembleia de Deus Resgatai, em Viana. Já o sepultamento aconteceu no cemitério de Vila Bethânia, também no município, na tarde desta quarta-feira (12).

Família morta em acidente voltava de viagem de férias. O filho mais velho sobreviveu
Família morta em acidente voltava de viagem de férias. O filho mais velho sobreviveu
Foto: Reprodução/Redes Sociais

 

 

Ver comentários