Notícia

Pastor é morto na porta de casa quando se preparava para culto na Serra

O sobrinho de Fernando Lúcio Pissarra contou que moradores da região perceberam o assassino rondando o local minutos antes do crime

 Fernando Lúcio Pissarra (em destaque) foi assassinado na porta de casa
Fernando Lúcio Pissarra (em destaque) foi assassinado na porta de casa
Foto: Bernardo Coutinho

Um pastor de 58 anos foi assassinado na porta de casa enquanto se preparava para um culto no bairro São Judas Tadeu, na Serra, no fim da tarde deste domingo (23). Para a família, o crime foi uma grande covardia e a motivação continua sendo um mistério.

De acordo com familiares, além de pastor, Fernando Lúcio Pissarra também era professor. Ele tinha uma igreja que ele mesmo fundou no bairro - da congregação Assembleia de Deus - há cerca de dez anos. Neste domingo, por volta das 18 horas, ele abriu a igreja, ligou todas as luzes e o som, preparando o templo para o culto de domingo, e saiu da igreja para ir em casa vestir o paletó.

> Homem é baleado na perna ao reagir a assalto em ponto de ônibus na Serra

A igreja fica praticamente em frente à casa dele, na Rua Santos Pinto, conhecido como Beco dos Pissarras. Ele deu quatro passos e, quando parou bem em próximo ao portão de casa, foi abordado pelo criminoso, que deu dois tiros na vítima.

CRIMINOSO FOI VISTO ANTES

O sobrinho de Fernando, o autônomo Silvestre Fraga Júnior, de 33 anos, contou que moradores da região perceberam o assassino rondando o local minutos antes do crime. Ele ficou um tempo no início da rua, escondido atrás de um caminhão, com uma touca na cabeça, sem tampar o rosto.

Quando o bandido percebeu que o pastor entrou na rua, ele abaixou a touca ninja, se aproximou da residência e ficou escondido em um muro ao lado da igreja. Quando o pastor saiu para colocar o paletó, o criminoso foi atrás e abordou a vítima já atirando.

Silvestre conta que o primeiro tiro não acertou o pastor. Já o segundo e o terceiro acertaram - sendo um nas costas e outro na axila. O pastor ainda tentou correr para dentro de casa após ser baleado. Ele desceu as escadas e abriu a porta da residência, caindo na cozinha, próximo da geladeira.

Os familiares que moram na rua ouviram os tiros e escutaram quando o pastor deu um grito, com a palavra “Jesus”. O cachorro do pastor chegou a correr atrás do assassino. O criminoso fugiu e ainda não foi localizado. Silvestre correu para o quintal e não percebeu o corpo do tio caído na entrada da casa. Quando retornou dos fundos, viu a prima chorando em cima da vítima.

Segundo Silvestre, o pastor ainda estava vivo e foi colocado em um carro e levado para o Hospital Jayme Santos Neves, na Serra. No caminho, o tio acabou morrendo.

FAMÍLIA CONTA QUE PASTOR NÃO TINHA INIMIGOS

A família conta que Fernando Lúcio não tinha inimigos e também não havia relatado ter recebido ameaças ou brigado com alguém. Por isso, o crime é um grande mistério porque, ainda segundo os familiares, o pastor era um homem muito querido na região e fazia o bem. Ele era formado em Pedagogia e Teologia e já deu aulas de educação religiosa. Atualmente ele lecionava para crianças com necessidades especiais.

Pela vida que ele levava, sempre ligado à religião, a família não consegue entender porque iriam querer matá-lo. Silvestre, o sobrinho, não acredita em assalto, apesar da situação, mas imagina que o crime pode ter relação com intolerância religiosa. Apesar de não ter envolvimento com brigas, algumas pessoas implicavam com ele, por ser uma pessoa religiosa.

VELÓRIO E ENTERRO

O velório do pastor será na Igreja Assembleia de Deus, na Rua Major Pissarra, no Centro da Serra. O horário ainda será confirmado, mas, segundo a família, o culto provavelmente começará às 16 horas. O enterro será em um cemitério que fica atrás de uma igreja Matriz, no mesmo bairro.

Ver comentários