Notícia

Piedade: tiros e incêndio foram em casa de família que dominava o morro

Bandidos entregaram uma bala de fuzil a moradora. Marly Ferreira Bispo, mãe de JP, conta que o ataque foi um alerta

* Com informações de Eduardo Dias

Os tiros ouvidos da parte baixa e o incêndio visto no alto do Morro da Piedade, em Vitória, na noite de quarta-feira (19), tiveram um endereço certo: a casa da mãe do traficante João Ferreira Dias, o JP, conhecido como "dono" do morro. A Polícia Militar informou que ação foi para intimidar rivais.

Marly Ferreira Bispo, que também já foi presa por tráfico, conta que o ataque foi um alerta. "Ele me deu uma bala de fuzil para entregar para a polícia e eu entreguei. Falou que a policia não servia para nada e me chamou de 'caguete', que eu denuncio eles para a polícia. Me diz como? Se eu moro aqui, e eles no Bairro da Penha", disse em entrevista ao Gazeta Online, afirmando que os bandidos juraram matar o filho dela.

> RELEMBRE | Medo na Piedade e Moscoso: 7 mortes e histórico de ligações grampeadas

20/06/2019 - Casa da Família Ferreira, que tomava conta do Morro da Piedade, em Vitória, após o incêndio causado por bandidos do Bairro da Penha
20/06/2019 - Casa da Família Ferreira, que tomava conta do Morro da Piedade, em Vitória, após o incêndio causado por bandidos do Bairro da Penha
Foto: Fernando Madeira

Marly conta que a casa foi invadida por cerca de 20 pessoas. Antes, os bandidos entraram na casa de uma vizinha, que não quis se identificar. Segundo a polícia, na residência mora um aliado de João, que foi solto no último dia 24 de maio.

A moradora, que estava na casa com mais um adulto e quatro crianças, conta que os homens invadiram a casa perguntando se eles conheciam os responsáveis pelo tráfico da Piedade. Com a resposta negativa, eles iniciaram o ataque. "Eles prenderam a gente no quarto, mandaram abaixar a cabeça e não olhar pra cara de ninguém. Depois que colocaram fogo, eles gritaram pra gente sair, porque a casa estava pegando fogo", relata.

> RELEMBRE | Jan 2019 | Saiba quem são as vítimas do ataque que deixou mortos em morro de Vitória

20/06/2019 -  Marly Ferreira Bispo é mãe de João Ferreira Dias, o JP, conhecido como "dono" do morro. Ela teve a casa incendiada por traficantes, no Morro da Piedade, em Vitória
20/06/2019 - Marly Ferreira Bispo é mãe de João Ferreira Dias, o JP, conhecido como "dono" do morro. Ela teve a casa incendiada por traficantes, no Morro da Piedade, em Vitória
Foto: Fernando Madeira

Após atearem fogo na casa, eles seguiram para a residência dos Ferreira. Lá, eles quebraram tudo que encontraram pela frente na busca por Paulo Ricardo Ferreira Dias - outro filho de Marly que está foragido - e entregaram a bala de fuzil para a Marly, dizendo que deixaram para João.

Segundo Marly, os 20 bandidos chegaram pela mata, assim como em outros ataques realizados no morro: "Foi horrível! Eles vieram camuflados como polícia".

> RELEMBRE Dez 2018 | Base fixa da PM é inaugurada em Morro da Piedade

> RELEMBRE | Março 2018 | Morro da Piedade: medo, famílias expulsas e mulheres agredidas

> Março 2018 | Irmãos são assassinados com mais de 20 tiros cada um em Vitória

Sem moradia, ela e os três netos dormiram na quadra da comunidade. Já os vizinhos foram para casas de outros moradores que os acolheram. Na manhã desta quinta-feira (20), ela comentou que ainda esperava por demora do comparecimento da Assistência Social do governo e da Prefeitura de Vitória.

20/06/2019 - Casa da Família Ferreira, que tomava conta do Morro da Piedade, em Vitória, após o incêndio causado por bandidos do Bairro da Penha
20/06/2019 - Casa da Família Ferreira, que tomava conta do Morro da Piedade, em Vitória, após o incêndio causado por bandidos do Bairro da Penha
Foto: Fernando Madeira

Revoltada com a situação, Marly não pensa em ir para um abrigo: "Eu não vou enfiar meu neto em abrigo. Eu trabalhei para ter minha casa. Meu marido trabalha para a gente se manter. Daqui, eu não vou para abrigo, nem para casa de vizinho. Não tenho parente aqui. Minha família é toda da Bahia".

> RELEMBRE 

>Jun 2018 | Terror na Piedade: a vida e morte do braço direito o "dono do morro"

> Jun 2018 | Com perfil em rede social "dono da Piedade" desafia e promete vingança

> Jun 2018 | Terror na Piedade: conheça a família do crime que impõe medo no morro

A equipe de reportagem informou ainda que a Polícia Civil chegou ao local no fim da manhã desta quinta-feira (20). Em entrevista a rádio CBN Vitória, o tenente-coronel Geovanio, comandante do 1° Batalhão da Polícia Militar, informou que o ataque foi para intimidar o grupo rival e que o patrulhamento na região foi reforçado durante o feriado.

SEMAS

Em nota, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) informa que está enviando uma equipe de abordagem ao bairro Piedade para avaliar a situação e ver quais encaminhamentos podem ser feitos para as famílias atingidas. O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Centro também estará disponível para atendimento às pessoas prejudicadas.

 

 

Ver comentários