Notícia

Polícia conclui inquérito e identifica assassinos de transexual no ES

De acordo com a Polícia Civil, foram realizadas diversas diligências e outra transexual, que estava junto com Jahy no dia do crime, contou informações importantes, que ajudaram nas investigações

Jahy Bianchini chegou a ser socorrida para a Santa Casa, mas não resistiu
Jahy Bianchini chegou a ser socorrida para a Santa Casa, mas não resistiu
Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Civil concluiu o inquérito e identificou os acusados de assassinarem a transexual Jahy Bianchini, de 21 anos. O crime aconteceu no dia 30 de maio deste ano, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado.

De acordo com a Polícia Civil, foram realizadas diversas diligências e outra transexual, que estava junto com Jahy no dia do crime, contou informações importantes, que ajudaram nas investigações. 

Com imagens de câmeras de videomonitoramento e de informações de outras transexuais, os policiais identificaram o proprietário do veículo, que chegou a ser suspeito, porém foi identificado que ele era usuário de drogas e foi forçado a deixar o carro com traficantes e transferir a propriedade do veículo para a namorada de um dos indivíduos envolvidos no latrocínio.

A partir daí, foram identificados os autores e toda dinâmica do crime e os acusados, que não tiveram os nomes divulgados, confessaram a autoria do assassinato. Os envolvidos alegaram que não queriam roubar as travestis, apenas que houve uma confusão na hora de acordarem o valor do programa, pois queriam pagar com drogas e elas não aceitaram, resultando numa luta corporal, quando houve o disparo.

Além dessa conclusão, a Polícia Civil ainda identificou o traficante que extorquiu o proprietário do veículo, mas ele ainda não foi encontrado. O veículo também não foi apreendido até o momento, e os envolvidos afirmaram que jogaram a arma de fogo no Rio Itapemirim logo após o crime.

Todos os envolvidos estão soltos por não terem sido presos em flagrante. 

Ver comentários