Notícia

Bandidos roubam carro na Serra e ligam para dono para pedir resgate

A vítima recebeu ligações e mensagens no Facebook de criminosos exigindo R$ 2.500 para entregar o veículo. Além dele, uma moradora da mesma região afirma ter sofrido o mesmo tipo de roubo e tentativa de extorsão.

Um ano depois, em meio às incertezas das eleições, nascia o projeto de um aplicativo para dar mais transparência às ações dos políticos no Brasil

Um universitário de 19 anos foi assaltado e teve o carro roubado em Colina de Laranjeiras, na Serra, na tarde do último domingo (30). O que ele não esperava é que depois passaria a receber ligações dos criminosos exigindo R$ 2.500 para entregar o veículo. Além dele, uma moradora da mesma região afirma ter sofrido o mesmo tipo de roubo e tentativa de extorsão

O ROUBO

De acordo com o universitário, o assalto aconteceu por volta das 16 horas de domingo quando ele estacionou o Agile prata na praça de Colina de Laranjeiras, na Serra. Os criminosos estavam armados e chegaram em um carro prateado.

"Um deles, armado, saiu do carro e veio na minha direção. Ele mandou que eu deixasse todos os meus pertences no veículo, ameaçou me bater caso eu reagisse e me mandou sair do Agile. Obedeci a ordem, o bandido me mandou sair e fugiu com o carro, sendo seguido pelo comparsa", lembra.

Leia também

Dentro do Agile ficaram um par de tênis de basquete, além dos documentos da vítima. Na segunda-feira (01) um conhecido encontrou os documentos pessoais do universitário em uma estrada de chão que liga Colina de Laranjeiras e Taquara, na Serra. Já na terça-feira (02), uma mulher foi ao endereço do universitário entregar os documentos do carro, que ela encontrou em uma rua de Jardim Limoeiro, também na Serra.

A TENTATIVA DE EXTORSÃO

Após o trauma pelo assalto, o universitário teve que enfrentar um segundo transtorno: a tentativa de extorsão. Por volta das 10 horas desta terça-feira (02) os criminosos ligaram para a vítima de um número restrito. Afirmando que eram agiotas, disseram ter conseguido o Agile em troca de uma dívida.

"O homem que ligou confirmou todas as informações do veículo e perguntou se eu tinha interesse em recuperar o carro sem envolver a polícia pelo valor R$ 2.500. Ele disse que estava a cinco minutos da minha casa. Falei que tinha seguro, ele ameaçou passar o Agile para frente e desligou. Depois retornou às 22 horas mais nervoso, querendo falar com meu pai, pois o veículo está no nome dele. Falei novamente que tinha seguro, ele respondeu: vai esperar pelo seguro então?' e desligou", lembra. 

O universitário conta que procurou a 3ª Delegacia Regional da Serra para falar sobre a tentativa de extorsão. Mas, segundo ele, uma policial civil informou que não era necessário registrar ocorrência porque tratava-se de uma tentativa de golpe. Ela orientou a vítima a não atender mais as ligações.

"Hoje (03) entraram em contato com a minha mãe via Facebook pedindo R$ 1.500 para devolver o carro. Como ela não respondeu, o perfil a bloqueou", contou.

Não sei como eles conseguiram meu número de telefone. Talvez tenham pesquisado meu nome nas redes sociais e visto os anúncios que fizemos divulgando o roubo. Em alguns deles, tinha meu telefone para caso de informações

 

"O que em chama atenção é que segunda-feira roubaram o carro de uma mulher perto da minha casa e o bandido tinha as mesmas características do que me rendeu: Um homem branco, de olhos claros, cabelos lisos e cerca de 1.80 de altura", finalizou.

POLÍCIA 

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil informou que nenhum policial pode se recusar a registrar ocorrências, a não ser por motivo plenamente justificável.

"Qualquer cidadão que se sinta prejudicado com atendimento realizado pela polícia, pode se encaminhar à Corregedoria e formalizar a denúncia, para que o caso seja analisado. A Polícia Civil orienta que as vítimas desse tipo de caso registrem a ocorrência em qualquer delegacia ou na Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), munidas de todo material que comprove o crime e que auxilie a polícia no trabalho de investigação", disse a nota.

Já a Polícia Militar, informou que a região conta com policiamento preventivo 24 horas por dia e ressaltou que ações ostensivas, como bordagens diversas, pontos base e cercos táticos, acontecem diariamente em diversos pontos da região, com intuito de prevenir e reprimir todo tipo de crime.

 "Vale ressaltar que no local há um projeto em andamento chamado de Rede Comunidade Segura, e isso tem aproximado a PM dos moradores e comerciantes, além de dar um retorno positivo. É importante lembrar ainda que o comando da 2° Companhia do 6° Batalhão está sempre à disposição da comunidade através do telefone 3328-3857 para agendar reuniões, para discutir sobre as ações realizadas no bairro".

Ver comentários