Notícia

Concretada por pedreiro em obra de Vila Velha é identificada pela família

Lorena da Silva Pereira Martins, de 17 anos, era moradora de Morada da Barra, em Vila Velha, mas passava muito tempo nas ruas devido ao vício em drogas, que teve início há dois anos durante uma depressão pela perda do filho.

O corpo de Lorena da Silva Pereira Martins foi identificado pela família
O corpo de Lorena da Silva Pereira Martins foi identificado pela família
Foto: Reprodução

O corpo da jovem que foi concretada por um pedreiro em uma obra na Praia da Costa, em Vila Velha, foi identificada pela família na manhã desta quarta-feira (17) no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória. O nome dela é Lorena da Silva Pereira Martins, de 17 anos. A vítima, segundo a família, era moradora do bairro Morada da Barra, também em Vila Velha, mas passava muito tempo nas ruas devido ao vício em drogas, que teve início há dois anos durante uma depressão pela perda do filho. 

De acordo com a família da vítima, Lorena costumava ficar dias fora de casa. Em uma das vezes que a jovem sumiu e retornou para casa, ela voltou grávida. Nesse período, Lorena recebeu os cuidados da família até o nascimento do bebê, que hoje tem um ano e quatro meses. Após o nascimento, a adolescente voltou para as ruas.    

No último contato que teve com os parentes, Lorena mostrou interesse em aceitar tratamento para livrar-se do vício. Mas após a conversa a jovem voltou para as ruas e, diferente do costume, ficou muito tempo sem dar notícias. Sem imaginar que a adolescente já estava morta, os familiares passaram a procurá-la pelas ruas de Vila Velha. 

Parentes de Lorena só desconfiaram após verem uma reportagem sobre a prisão do pedreiro Lucas Raphael dos Santos Silva, de 33 anos, na última sexta-feira (12). O acusado confessou ter matado a menor durante uma briga por R$ 50. Com as características da tatuagem da vítima, a mãe da jovem procurou a polícia. 

A família reconheceu a adolescente pelas fotos do corpo, as tatuagens e através da impressão digital. O corpo de Lorena foi enterrado como indigente no Cemitério São Domingos, na Serra. Agora, com identificação formal da Polícia Civil, a família irá incluir a identificação na lápide da vítima. 

ACUSADO DO CRIME FOI PRESO

O pedreiro Lucas Raphael confessou que matou e concretou mulher em obra de Vila Velha
O pedreiro Lucas Raphael confessou que matou e concretou mulher em obra de Vila Velha
Foto: Divulgação | Polícia Civil

R$ 50. Foi por conta de uma nota neste valor que um pedreiro de 33 anos matou e concretou uma mulher ainda não identificada em uma obra na Praia da Costa, em Vila Velha, no dia 10 de abril deste ano. O acusado, o pedreiro Lucas Raphael dos Santos Silva, foi preso em Minas Gerais na última sexta-feira (12) e confessou o crime. De acordo com ele, a vítima foi morta porque teria roubado uma nota de R$ 50 do acusado.

INVESTIGAÇÃO E PRISÃO

A prisão foi realizada pela Polícia Civil por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM) e, segundo informações da delegada Raffaella Almeida, titular da DHPM, logo após o corpo ser encontrado as investigações começaram e testemunhas foram ouvidas. A polícia desconfiou do pedreiro logo no início porque, logo após o crime, o acusado sumiu da obra onde trabalhava e morava.

> Mulher é agredida pelo marido após postar foto sozinha em rede social

A delegada informou também que Lucas Raphael era conhecido nas redondezas apenas pelo primeiro nome e pelo apelido de "Mineirinho", que gerou a desconfiança da polícia de que ele poderia ser natural de Minas Gerais. A delegada entrou em contato com a Polícia de Minas Gerais e, com o primeiro nome, apelido e um dos sobrenomes, conseguiu identificar o pedreiro. A partir daí, as buscas começaram com foco no Estado de Minas Gerais com o apoio do grupo tático da Polícia Civil de lá. 

Ele apertou o corpo dela até a mulher desfalecer. Pegou o corpo e, para tentar se esquivar de punição pelo homicídio, tentou ocultá-lo jogando no vão
Raffaella Almeida, titular da DHPM

A VERSÃO DO ASSASSINO

Em depoimento, Lucas confessou o crime e contou à delegada que, na sexta-feira anterior à morte da vítima, foi aniversário dele, e que ele estava com uma quantia em dinheiro para comprar marmita para os pedreiros que trabalhavam na obra, com o dinheiro que tinha sido arrecadado no local. Com a quantia, ao invés de comprar as marmitas, "Mineirinho" comprou drogas e teria passado madrugada do aniversário consumindo cocaína.

Encontro de cadáver em obra na Praia da Costa em Vila Velha
Encontro de cadáver em obra na Praia da Costa em Vila Velha
Foto: Reprodução/Whatsapp

No dia seguinte, ele disse em depoimento que saiu para comprar mais drogas — foi quando ele encontrou a vítima, que era conhecida como "De menor" ou "Sem calcinha" na casa do traficante que vendia as substâncias. Os dois usaram juntos na obra em que Lucas Raphael trabalhava. Compraram crack e foram consumir lá.

Ele parecia um pouco arrependido. Não tinha passagens pela polícia. Agora ele está no Centro de Triagem de Viana
Raffaella Almeida, titular da DHPM

Chegando na obra, Lucas contou que, antes de usar o crack, resolveu ir até o portão checar se estava trancado. Ele disse que tinha deixado uma quantia de R$ 50 na obra e, quando voltou, o dinheiro não estava mais lá. Foi quando ele e a vítima começaram a discutir. Havia uma academia próximo ao local e a mulher ameaçou gritar, foi quando o pedreiro deu um golpe estilo mata-leão e ela desmaiou. Ali, ele contou que achou que ela já estava morta. Pegou ela no colo e subiu em uma escada da obra para jogar o corpo em um vão.

> Homem morre após tomar bebida em praça de Colatina

Por não aguentar carregar a vítima no colo, ela caiu e bateu a cabeça. A delegada acredita que foi neste momento que ela morreu, já que a causa da morte, segundo o laudo do Departamento Médico Legal (DML) é de traumatismo craniano. Novamente teria pegado o corpo e subido a escada para jogar o corpo no vão. Ele conta que preparou a massa de concreto e jogou em cima do corpo. Depois do crime, ele desapareceu e fugiu para Minas Gerais.

Corpo encontrado em obra na Praia da Costa em Vila Velha
Corpo encontrado em obra na Praia da Costa em Vila Velha
Foto: Vitor Jubini

Ainda em depoimento, o pedreiro disse que estava arrependido e que tudo aconteceu devido ao intenso uso de drogas naquele dia, e disse também que não conhecia a vítima. Após aplicar o golpe de mata-leão, Lucas Raphael afirmou que teria encontrado os R$ 50 junto ao corpo da mulher.

VEJA VÍDEO

O pedreiro está detido por meio de mandado de prisão temporária e será autuado por homicídio e ocultação de cadáver.