Notícia

Filho coloca fogo e destrói a casa dos pais em Colatina

O jovem, que tem problemas psicológicos, ateou fogo na residência após uma discussão familiar. Corpo de Bombeiros demorou 40 minutos para controlar as chamas. Depois, o suspeito voltou e incendiou o local mais uma vez

Bombeiros controlam incêndio em casa do bairro São Marcos, em Colatina
Bombeiros controlam incêndio em casa do bairro São Marcos, em Colatina
Foto: Corpo de Bombeiros

Uma discussão familiar quase causa uma tragédia no bairro São Marcos, em Colatina, região Noroeste do Estado. Um jovem, que não teve a idade informada, ateou fogo em roupas e no armário do quarto após o desentendimento e provocou um incêndio em toda a residência, na noite desta quarta-feira (17). Além do rapaz, estavam no local o pai dele e a mãe. Segundo vizinhos, o jovem tem problemas psicológicos.

O Corpo de Bombeiros informou que o foco de incêndio foi no quarto que fica na parte superior da casa. Para o atendimento foram deslocadas três viaturas. A PM também esteve no local. A rua foi isolada e, após 40 minutos de trabalho, as chamas foram controladas. O rapaz fugiu. Os pais ficaram no local e foram abrigados por amigos, por conta da destruição da residência da família, que é de alvenaria.

O incêndio havia atingido o quarto e parte da sala quando foi controlado. Mas, por volta de 23 horas, vizinhos acionaram os bombeiros novamente, pois o jovem havia retornado ao local e colocado fogo mais uma vez. Ele trancou a casa com cadeados e fugiu.

 

Mais uma vez as chamas foram apagadas. O Corpo de Bombeiros explicou que os vizinhos emprestaram novos cadeados, que foram colocados nos portões de acesso da residência para evitar que o rapaz voltasse ao local e ateasse fogo outra vez.

POLÍCIA CIVIL

Em nota, a Polícia Civil disse que o caso será investigado pela Delegacia de Infrações Penais e Outras (Dipo) de Colatina. “Segundo o relato dos policiais militares, o autor seria alienado mental e teria se evadido após os fatos, tomando destino ignorado. Denúncias podem ser feitas por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br”, pede a nota.

 

 

Ver comentários