Notícia

Vereador que matou prefeito em Minas Gerais é preso no ES

O vereador estava na casa de familiares na Mata da Praia quando foi detido

Vereador Marcos Alves de Lima foi preso no Espírito Santo nesta terça (16)
Vereador Marcos Alves de Lima foi preso no Espírito Santo nesta terça (16)
Foto: Divulgação | Polícia Civil

O vereador acusado de matar o prefeito de Naque, em Minas Gerais, foi preso nesta terça-feira (16), na Mata da Praia, em Vitória.

A equipe de reportagem do Gazeta Online presenciou o momento em que o suspeito Marcos Alves chegou ao Departamento Médico Legal (DML) em uma viatura da Polícia Civil.

> Homem morre após tomar bebida em praça de Colatina

Durante o tempo em que o vereador estava no DML, do lado de fora estavam outras três pessoas que acompanhavam o acusado. O vereador estava na casa de familiares, na Mata da Praia, quando foi detido.

O vereador foi localizado depois que a equipe do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) de Minas Gerais iniciou o rastreio do acusado e pediu apoio à Polícia Civil do Espírito Santo.

GAECO-MG

Após fazer levantamentos de possíveis locais onde o vereador poderia estar escondido, o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), por meio do Gaeco de Ipatinga, no Vale do Aço, fez os pedidos de prisão e de busca e apreensão nesta terça-feira (16), os quais foram deferidos pela Vara Única de Açucena.

Em nota, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou que que investiga o caso, ininterruptamente, desde a notícia do crime. O vereador chegou a ser autuado em flagrante, mas foi liberado em audiência de custódia.

> Dois amigos morrem ao tentar fazer selfie em cachoeira de MG

O Ministério Público solicitou à Justiça mandado de prisão preventiva e, desde então, os policiais civis mineiros, em Açucena, fizeram o monitoramento e constataram que o vereador fugiu para o Espírito Santo. O mandado de prisão foi cumprido pela Polícia Civil do Espírito Santo a partir de comunicação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).

"De acordo com o Delegado responsável pelo inquérito, João Luiz Martins Barbosa, nas próximas horas a equipe da Delegacia da Polícia Civil em Açucena buscará o suspeito. A reconstituição do crime e novos depoimentos não estão descartados", finalizou o órgão.

Ver comentários