Notícia

Homem mata irmão a facadas na Serra

O crime aconteceu no bairro Planalto Serrano por volta das 14h30

Rua em que o crime aconteceu no bairro Planalto Serrano, na Serra
Rua em que o crime aconteceu no bairro Planalto Serrano, na Serra
Foto: Esthefany Mesquita

Foi durante uma confusão na tarde desta segunda-feira (12) que um homem de 37 anos tirou a vida do irmão mais velho, de 42 anos — identificado como Isaac Galvão — usando uma faca no bairro Planalto Serrano, na Serra.

De acordo com informações da Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 14h30. A vítima foi atingida com cinco facadas nas costas, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Isaac ficou caído no quintal da casa onde morava com a família. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), chegou a ser acionado, mas ao chegar na residência a equipe constatou óbito. O irmão da vítima ainda não foi localizado. 

> Irmãos são mortos a tiros por policiais no Norte do Espírito Santo

Segundo investigadores da Polícia Civil, os irmãos moravam no mesmo quintal localizado na rua Sergipe, em Planalto Serrano. A polícia informou ainda que há cerca de 10 anos os irmãos teriam se desentendido, e, desde então, não se falavam. 

ARMA ENCONTRADA NA CASA DA MÃE

Ainda segundo informações de investigadores da Polícia Civil, a faca usada no crime foi encontrada no mesmo bairro, na rua Rio de Janeiro, no município. O endereço, trata-se da casa da mãe dos irmãos.

Segundo a polícia, enquanto a perícia estava no local do crime, a Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa, da Serra foi até a residência da mulher e encontrou uma faca de porte médio com cabo de madeira. A mãe dos irmãos não soube informar para onde o filho mais novo fugiu depois de assassinar Isaac.

Por nota, a Polícia Civil informou que até o momento nenhum suspeito foi detido. O caso seguirá sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Serra.

No bairro, o clima é de medo. Com receio, moradores da região preferiram não falar sobre o assunto com a reportagem.

Ver comentários