Notícia

Cada juiz do Espírito Santo custa R$ 44,1 mil por mês

O valor, referente a 2017, manteve-se praticamente estável em relação ao ano anterior, em levantamento do CNJ

Tribunal de Justiça do Espírito Santo
Tribunal de Justiça do Espírito Santo
Foto: Divulgação/TJES

O custo mensal de cada magistrado da Justiça Estadual do Espírito Santo em 2017 foi de R$ 44.170. A informação é do relatório Justiça em Números, elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e divulgado nesta segunda-feira (27). No cálculo estão computados os salários e também benefícios e despesas de caráter indenizatório, tais como diárias, passagens, auxílio-moradia, entre outros.

O custo registrou uma leve queda em relação ao ano anterior, com dados de 2016, quando o custo foi de R$ 44.398. Comparando com os outros Estados, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) é um dos 10 que recebem a classificação de médio porte. Neste recorte, o TJES ocupa a 8ª colocação, ou seja, é o terceiro com menor despesa média por magistrado.

Leia também

Ao contabilizar todos os tribunais estaduais, o custo médio é de R$ 49.780. Quando são incluídos também os tribunais federais, que engloba a Justiça Eleitoral, do Trabalho, Justiça Federal, Militar e os tribunais superiores, o gasto médio é de R$ 48.516 por juiz, desembargador ou ministro.

Já o custo médio com os servidores do Judiciário capixaba, por mês, foi de R$ 13.866 em 2017, em média.

PRODUTIVIDADE

Já quando a avaliação é sobre a produtividade, os magistrados do Estado registraram queda no ranking em relação ao ano anterior. Em 2016, o índice foi de 1.206, na 7ª colocação. Em 2017, foi para a 8ª, com 1.136. Este número reflete o volume de processos baixados por cada um durante o ano na jurisdição.

Ver comentários