Notícia

Manuela D' Avila relata ameaça e pede reforço da Polícia Federal

Uma postagem falsa da página do Facebook "Partido Bolsonaro" associa a candidata e o PT a Adélio Bispo de Oliveira, autor do ataque a faca contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) no dia 6 de setembro

Manuela D'avila, candidata a vice-presidência da República (PCdoB)
Manuela D'avila, candidata a vice-presidência da República (PCdoB)
Foto: Reprodução / Facebook

A candidata a vice-presidência Manuela D´avila (PCdoB) pediu nesta segunda-feira (24) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que a Polícia Federal reforce a segurança e que a Procuradoria-Geral da República (PGR) apure as ameaças sofridas por ela. Uma postagem falsa da página do Facebook “Partido Bolsonaro” associa a candidata e o PT a Adélio Bispo de Oliveira, autor do ataque a faca contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) no dia 6 de setembro.

Os advogados da candidata também entraram com uma representação pedindo que a publicação, compartilhada por outros usuários nas redes sociais, seja retirada do ar e também que seja garantido o direito de resposta a Manuela.

“Tornou-se viral a imputação de conduta delituosa à Manuela D’Ávila, motivo pelo qual a Coligação e a própria candidata agora temem pelo que pode ocorrer nos próximos atos de campanha”, diz a petição protocolada ainda na madrugada pelos advogados da coligação O Povo Feliz de Novo (PT, PC do B e Pros). “Sabe-se que o acontecimento envolvendo o candidato pela Coligação ‘Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos’ gerou enorme comoção por parte dos seguidores. Muitos deles, revoltados, compartilham notícias falsas como forma de encontrar na oposição algum culpado pelo ocorrido”, segue a petição que pede providências urgentes da Justiça Eleitoral.

Leia também

A postagem da página “Partido Bolsonaro” foi publicada as 2h da manhã de sábado (22) e ganhou grande repercussão, sobretudo entre os apoiadores de Bolsonaro por afirmar que a Polícia Federal, ao quebrar o sigilo telefônico de Adélio Bispo, teria encontrado seis ligações entre ele e a candidata no dia do atentado e que Manuela teria monitorado Adélio na data. A postagem já foi compartilhada mais de 23 mil vezes. Na representação que pede o direito de resposta, os advogados da chapa pedem ainda que o Facebook identifique os autores da página e que as publicações compartilhando o conteúdo sejam retiradas do ar.

“Juiz de Fora foi escolhido pelo apoio Petista dos alunos da Universidade Federal, que também foram acionados pela Manuela, para provocar tumulto. Os advogados do Adélio tem escritórios na região. O atentado contra Bolsonaro foi planejado em detalhes pelos comunistas do PT e filiais”, diz a publicação no Facebook. Com a repercussão da postagem, a página de Manuela na rede social também recebeu uma mensagem com ameaça, que os advogados juntaram na petição.

Na mensagem, o usuário identificado como Guilherme Messias Bolsonaro, afirma: “Vacilona, foi você quem mandou o Adélio esfaquear o Bolsonaro!! Planejou tudo e com detalhes. Já te vi uma vez perto da PUC aqui em Campinas e ignorei, mas dessa vez vai ser diferente...se prepare D´Avila”. Na petição à Justiça Eleitoral, os defensores da candidata apontam que “esta cólera generalizada, que se alimenta de informações inverídicas como a relatada, é terreno fértil para os ditos “justiceiros” que pretendem vingar seu ‘mártir’ fazendo justiça com as próprias mãos”.

Diferente dos candidatos à Presidência, os candidatos a vice não contam com agentes da PF à disposição para fazer sua segurança.

Ver comentários