Notícia

Osmar Terra é confirmado para o Ministério da Cidadania

Futuro ministro diz que promessa de décimo terceiro para Bolsa Família será cumprida

Osmar Terra já foi secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, além de deputado federal
Osmar Terra já foi secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, além de deputado federal
Foto: Alex Ferreira | Câmara dos Deputados

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) será ministro da Cidadania no governo de Jair Bolsonaro. Ele foi ministro de Desenvolvimento Social na gestão de Michel Temer. A nova pasta vai concentrar as áreas de política social, esporte e cultura. O nome foi anunciado pela assessoria do gabinete de transição. O presidente eleito indicou ainda nesta quarta-feira (28) outros dois nomes. Pelo Twitter, Bolsonaro anunciou Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto para o Ministério do Desenvolvimento Regional e, logo depois, o futuro ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) confirmou que o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) irá assumir o comando do Turismo.

O presidente eleito afirmou também que deixou para a próxima semana o anúncio de quem será seu ministro do Meio Ambiente. Em entrevista logo após a confirmação, Osmar Terra disse que haverá décimo terceiro no Bolsa Família. "O presidente prometeu e será cumprido".

Ele disse que os direitos humanos não ficarão sob o guarda-chuva da nova pasta. Ele não soube afirmar se parte do atual Ministério do Trabalho ficará sob seu comando."Vai focalizar sempre na população mais carente, do Bolsa Família", afirmou Terra.

Leia também

O futuro ministro da Cidadania disse não saber ainda se o programa Minha Casa, Minha Vida continuará na pasta. A ação é ligada atualmente ao Ministério das Cidades. Terra negou ter sido indicado pelo PMDB."Foi um movimento da frente parlamentar da assistência social, das doenças raras, dos deficientes, dos idosos".

O futuro ministro deixou o Ministério de Desenvolvimento para disputar um novo mandato de deputado federal e foi reeleito. Antes da indicação, Bolsonaro tinha pedido nomes para a bancada evangélica, que sugeriu outros deputados para a função.

DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto vai para o ministério do Desenvolvimento Regional , pasta que vai reunir as áreas de Cidades e Integração Nacional. Ele é atual secretário-executivo do ministério da Integração e foi chefe de gabinete de Helder Barbalho (MDB), governador eleito do Pará, quando ele respondia pela pasta no governo Michel Temer.

TURISMO 

Ainda nesta quarta-feira (28), ao lado do presidente eleito, o futuro ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) anunciou o deputado federal Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) para o comando do Ministério do Turismo.

O parlamentar integra a frente religiosa. É o segundo ministro filiado ao PSL, partido do presidente eleito, no governo. O primeiro é o futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Ver comentários