Notícia

Após suplente ser preso por estupro, Marcelo Santos não vai para secretaria

Deputado estadual conversou com o governador Reanato Casagrande (PSB) nesta quinta-feira (10) e avisou, por meio de nota, que vai permanecer na Assembleia Legislativa

Data: 09.01.2018 - Deputado Marcelo Santos em sessão extraordinária
Data: 09.01.2018 - Deputado Marcelo Santos em sessão extraordinária
Foto: Tati Beling/Ales

O deputado estadual reeleito Marcelo Santos (PDT) não vai mais assumir a Secretaria de Esportes do governo Renato Casagrande (PSB). Após conversa com o socialista e com o secretário da Casa Civil, Davi Diniz, nesta quinta-feira (10), o parlamentar anunciou, por meio de nota, que vai permanecer na Assembleia a partir de 1º de fevereiro, quando começa a próxima legislatura.

Caso fosse para o primeiro escalão, quem assumiria o lugar dele no Legislativo seria o deputado estadual não reeleito Luiz Durão (PDT), primeiro suplente da coligação. Durão está preso sob acusação de estupro.

"Apesar de honrado com o convite e convicto de que poderia contribuir muito com o desenvolvimento e a valorização do setor de esporte no Estado, entendo que, neste momento, o mais adequado é continuar trabalhando pelos capixabas no Legislativo estadual", afirmou Marcelo. 

Leia também

À frente da secretaria atualmente está Alessandro Comper Alessandro Comper, também filiado ao PDT.  O originalmente programado, desde que Marcelo aceitou o convite, é que Comper ficaria no comando até o deputado assumir. 

Marcelo permaneceria na Assembleia ao menos até a eleição da Mesa Diretora. Depois, seria a vez de Durão. O regimento interno da Assembleia prevê até 30 dias para a posse.

Ao Gazeta Online, Comper afirmou, na tarde desta quinta, que nem foi informado sobre a decisão de Marcelo, e que ficou sabendo por meio da reportagem.

O deputado federal Sérgio Vidigal, presidente estadual do PDT, afirmou que vai conversar com Casagrande e que caberá ao governador avaliar se a sigla tem nomes com perfil para a secretaria. "Não vamos brigar por causa de cargo", garantiu Vidigal

"OPINIÃO POPULAR"

"Não há qualquer outra manifestação do governo com relação a outra medida que não a manutenção do convite", afirmou Marcelo, ainda na quarta-feira (09), quando informou que, mesmo assim, conversaria com Casagrande sobre o assunto e que "a opinião popular é muito importante".

A reportagem já havia apurado com uma fonte palaciana que o governo não estaria disposto a bancar a nomeação de Marcelo no atual quadro e até já havia externado isso ao PDT. Apesar de Marcelo não ter causado a situação, poderia "pegar mal" para o Executivo ser corresponsável pela manutenção de Durão, que hoje é deputado em final de mandato, na Casa.

PDT

O secretário da Casa Civil, Davi Diniz, disse que o futuro titular da pasta deve ser ainda do PDT. O governo vai conversar com o partido para definir o nome. "Após a manifestação do Marcelo, vamos sentar com a Executiva do PDT para ver se a gente consegue contemplar o partido e recompor a secretaria de Esportes."

Diniz afirmou que não partiu do governo a retirada de Marcelo do primeiro escalão. "O nosso convite estava mantido", ressaltou. "Respeitamos a atitude do deputado, entendemos os motivos que o levam a tomar a decisão neste momento", complementou. Questionado sobre como o Executivo agiria caso não houvesse tal gesto por parte de Marcelo, o secretário lembrou que o Palácio Anchieta já conversava com o PDT, "de forma muito cautelosa".

"Estávamos aguardando o final do inquérito da Polícia Civil e o desenrolar da Justiça. A gente ia aguardar os próximos dias para tomar uma decisão em conjunto com o PDT."

Por enquanto, Alessandro Comper segue à frente da pasta.

CONFIRA A NOTA DE MARCELO SANTOS:

"Diante dos fatos envolvendo o deputado Luiz Durão, e que acabaram tendo ampla repercussão no convite que recebi para assumir a Secretaria Estadual de Esportes, decidi, em conversa, hoje (10), com o governador Renato Casagrande e o chefe da Casa Civil, Davi Diniz, assumir meu novo mandato e permanecer na Assembleia Legislativa a partir de 1º de fevereiro.

Apesar de honrado com o convite e convicto de que poderia contribuir muito com o desenvolvimento e a valorização do setor de esporte no Estado, entendo que, neste momento, o mais adequado é continuar trabalhando pelos capixabas no Legislativo estadual.

Agradeço a todos pelas mensagens de apoio e incentivo recebidas até aqui, e também ao governador pela compreensão e respeito ao meu trabalho. Mantenho-me à disposição para colaborar com o governo na tarefa de garantir um Espírito Santo cada vez mais justo para os capixabas."

Ver comentários