Notícia

Bolsonaro anuncia R$ 2,5 bilhões da Petrobras para a educação

A declaração foi dada em live no Facebook realizada na cidade norte-americana de Dallas (Texas), onde recebeu homenagem de "Pessoa do Ano"

Tarja Poder 360

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (16) que deve destinar 2,5 bilhões de multas da Petrobras para o Ministério da Educação e da Ciência e Tecnologia. O número é maior que R$ 1,7 bilhão, que é o total contigenciado das universidades federais.

A declaração foi dada em live no Facebook realizada na cidade norte-americana de Dallas (Texas), onde recebeu homenagem de “Pessoa do Ano”. Estavam ao lado do presidente: Pedro Guimarães, presidente da Caixa; o almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia; e uma intérprete de libras.

“Estamos nos Estados Unidos. Um acordo aqui bastante complexo, a multa de R$ 2,5 bilhões da Petrobras está voltando para o Brasil e pode ser aplicada em algo que não tenha a ver com Petrobras. Pelo que tudo indica, devemos levar esse recurso, com a participação muito ativa da senhora [procuradora-geral da República] Raquel Dodge, para o Ministerio da Educação. Gostaria de em parte, até se for possível, levar para Ministério da Ciência e Tecnologia. A gente precisa investir em pesquisa”, afirmou.

O presidente da República Jair Bolsonaro fez live no Facebook ao lado de Pedro Guimarães, presidente da Caixa; o almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia; e uma intérprete de libras
O presidente da República Jair Bolsonaro fez live no Facebook ao lado de Pedro Guimarães, presidente da Caixa; o almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia; e uma intérprete de libras
Foto: Marcos Corrêa/Planalto - 16.mai.2019

Os R$ 2,5 bilhões mencionados por Bolsonaro são parte dos valores recuperados pela Lava Jato. O Ministério Público chegou a pretender criar 1 fundo para administrar esse dinheiro. Houve muitos protestos, inclusive da PGR (Procuradoria Geral da República) e de congressistas, que foram contra a medida no TCU (Tribunal de Contas da União).

> Bolsonaro diz esperar que Coaf continue com Moro

Os procuradores da Lava Jato voltaram atrás da decisão de criar o fundo em 12 de março e decidiram negociar com a AGU destinação de R$ 2,5 bi da Petrobras. Em 15 de março, o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu todos os efeitos do acordo celebrado pela força-tarefa da Lava Jato de Curitiba que estabelecia a criação de uma fundação com R$ 2,5 bilhões recuperados da Petrobras.

CRÍTICA A ATOS CONTRA CONTINGENCIAMENTO

O presidente voltou a criticar os atos contra o bloqueio do orçamento das universidades federais, anunciado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Para ele, os estudantes foram enganados pelos partidos de esquerda.

> Bolsonaro bate continência à bandeira dos EUA e erra o próprio bordão

“Não foi manifestação pela educação, eu também quero, nós todos queremos educação melhor no Brasil. A manifestação foi patrocinada por uma minoria de espertalhões do PT, PC do B, Psol, PCO e sindicatos usando a boa fé de alunos que querem uma educação melhor também, para fazer 1 ato por Lula livre”, disse.

CELEBRA PRISÃO DE DIRCEU

Bolsonaro ainda comemorou a decisão do TRF-4 (Tribunal. Regional Federal da 4ª Região) que levará de volta à prisão o ex-ministro José Dirceu. Pelo mandado de prisão expedido pelo juiz federal Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal em Curitiba, o petista terá até as 16 horas desta 6ª (17.mai.2019) para se apresentar à Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

“Inclusive parabéns, José Dirceu. Vai curtir umas férias agora em 1 presídio federal por aí. O TRF acabou de rejeitar último recurso dele. Espero que ele seja preso, se é que já não foi”, disse.

LANÇAMENTO DO CARTÃO CAMINHONEIRO

Para conter a insatisfação dos caminhoneiros que planejam fazer greve, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou na live a data do lançamento do cartão caminheiro, medida que faz parte do pacote do governo de agrado ao setor anunciado em 26 de março.

> Quebra de sigilo de Flávio Bolsonaro atinge ex-assessores do presidente

“Vamos começar no dia 20 de maio nos Estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. A partir de 25 de junho em todo o território nacional”, disse Bento Albuquerque.

O ministro disse que a medida serve para que os caminhoneiros não sejam prejudicados com a variação do preço dos combustíveis.

“Hoje a Petrobras anunciou que no próximo dia 20 de maio vai iniciar os testes do cartão do caminhoneiro. Cartão que possibilitará mais segurança, facilidade, flexibilidade e garantir o preço do combustível de uma forma de 1 cartão pré-pago, por até 30 dias. Isso, se o preço subir o caminhoneiro vai ter a garantia do preço do diesel e se o preço cair ele pode pegar o dinheiro dele do cartão pré-pago e comprar mais combustível e assim utilizá-lo”, afirmou.

Bolsonaro afirmou que é alvo de constantes de reclamações sobre o preço do combustível.

“O pessoal reclama do preço da gasolina, 5 reais. Me culpam, atiram para cima de mim o tempo todo. O preço do combustível é feito lá pela Petrobras, tem sua política de preço, leva-se em conta o preço do barril lá fora e sua variação no dólar. É lógico se a gente poder rever isso daí sem prejuízo da empresa, não tem problema nenhum, às vezes a política pode ter algum equívoco”, disse.

Bolsonaro e Bento Albuquerque disseram que o preço só vai cair se haver maior produção de combustível no Brasil.

MP DA REFORMA ADMINISTRATIVA

O presidente declarou que espera que a Medida Provisória 870, da reformulação ministerial, seja “aprovada sem alterações” e que Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) continue no Ministério da Justiça e “nenhum ministério seja criado para criar despesa”.

No entanto, Bolsonaro disse que o “parlamento é soberano”. O Congresso Nacional volta a analisar a MP na próxima semana.

MORO NO STF

O presidente reforçou sua declaração que indicaria o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) para o Supremo Tribunal Federal. “Sempre disse que precisamos de alguém no Supremo com o perfil de Sergio Moro”, disse.

O presidente afirmou que Moro não condicionou a indicação ao STF para fazer parte do governo federal.

Comentou também sobre o encontro que teve com Moro no aeroporto de Brasília em março de 2017, no qual Bolsonaro foi cumprimentado rapidamente. O presidente reclamou da abordagem da imprensa que relatou que o ex-juiz o teria ignorado.

Sobre isso, Bolsonaro disse que estava na cidade de Parnaíba (PI) e recebeu uma ligação do hoje ministro da Justiça o pedindo desculpa.

CÓDIGO NACIONAL DE TRÂNSITO

Bolsonaro afirmou que vai procurar na próxima semana o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, para falar sobre alterações no Código Nacional de Trânsito:

“Vou conversar com o presidente Rodrigo Maia e enviar 1 projeto de lei ou medida provisória que mexe no Código Nacional de Trânsito”, disse.

Entre as mudanças, o presidente disse que, em vez de o motorista perder a carteira de habilitação por 20 pontos, vai perder se tiver 40 anos. Outra alteração é aumentar a validade de 5 para 10 anos.

IMÓVEIS DA CAIXA

O presidente da Caixa disse que o banco estatal vai reduzir de 7 para 1 o número de prédios ocupados até o final deste ano. Em Brasília, Guimarães afirmou que vai diminuir dos atuais 15 prédios para 5 até o fim de 2019.

Conteúdo produzido pelo Portal Poder360 – www.poder360.com.br. Todos os direitos reservados. Reprodução permitida mediante autorização expressa.