Notícia

Câmara de Guarapari afasta vereador acusado de enviar áudios suspeitos

Gravações revelariam conversas com empresários e donos de boates prometendo modificar projetos. Durante o afastamento de 90 dias, uma comissão também analisará o caso

Em sessão da Câmara Municipal de Guarapari, vereador Dito Xaréu (SDD) se defendeu das acusações sobre áudios
Em sessão da Câmara Municipal de Guarapari, vereador Dito Xaréu (SDD) se defendeu das acusações sobre áudios
Foto: Divulgação/Câmara

A Câmara de Guarapari decidiu, na sessão desta quinta-feira (13), afastar do cargo o vereador Marcial Souza Almeida, o Dito Xaréu (SD), e abrir uma comissão processante para investigar supostas condutas dele, acusado de modificar projetos no Legislativo e até na prefeitura do município para atender a interesses de empresários.

Tudo começou com a divulgação de vários áudios atribuídos a Xaréu, que mostram uma tentativa dele em mostrar influência na tramitação e aprovação da Lei Municipal de Eventos. Esses áudios teriam sido encaminhados a donos de boates de Guarapari. Em um deles, o autor do áudio, supostamente o vereador, também pede R$ 6 mil de propina, ao contar que o projeto foi protocolado na Câmara.

Os áudios já haviam sido analisados em reunião por 15 vereadores. Eles também pediram uma investigação ao Ministério Público Estadual (MPES), que encaminhou a denúncia à Promotoria. No dia 22 de maio, uma outra denúncia sobre o fato, formalizada por um cidadão, foi apresentada na Câmara Municipal, e por isso, o assunto foi levado ao plenário nesta quinta.

Após nova apresentação dos áudios, foi dado espaço para que o vereador e seu advogado pudessem apresentar defesa. Com o pedido de investigação em votação, 11 vereadores foram a favor da abertura de comissão processante e pelo afastamento dele, e houve 4 abstenções, de Kamilla Rocha (DEM), Rosângela Loyola (PDT), Wendel Lima (PSD) e Sandro Bigossi (PDT).

Desta forma, o vereador fica afastado por 90 dias, e a comissão terá também 90 dias para apreciar a denúncia, prorrogáveis por mais 90.

Eleita presidente da comissão, a vereadora Fernanda Mazzelli (PSD) declarou que vai trabalhar para dar a transparência que a situação precisa. "Nós lamentamos a situação, é uma infelicidade para a Câmara. Nosso desejo é que tudo seja apurado e a Justiça seja feita. Estamos cumprindo nosso papel, que é de legislar e fiscalizar."

O relator do processo será o vereador Marcos Grijó (PDT). Segundo ele, será verificado se houve quebra de decoro parlamentar. "A Câmara teve sua imagem exposta negativamente por um vereador. Votei pelo afastamento, para mostrarmos para a sociedade que estamos empenhados em resolver o caso e acabar com esse tipo de influência na Casa, caso exista", disse.

OUTRO LADO

O vereador foi procurado pela reportagem para se manifestar sobre o afastamento, mas seus telefones permaneceram desligados. Também não foi possível contato com o advogado dele, Marcos Bitencourt.

Em maio, Dito Xeréu afirmou que os responsáveis pela confecção dos áudios eram "opositores ao Executivo" e com o objetivo de afastá-lo da Câmara para uma tentativa de golpe para cassar o prefeito.

"Gostaria de informar que não reconheço a autenticidade dos áudios, que eles são falsos, trata-se de uma montagem realizada por terceiros com intuito de prejudicar minha atuação como líder do prefeito. Não autorizo a vinculação do meu nome a qualquer áudio dessa natureza porque não são verdadeiros e sua origem não partiu de minha autoria. Inclusive, gostaria de informar que irei buscar os responsáveis com essa farsa e processá-los", afirmou.

Ver comentários