Notícia

Carlos Manato quer deixar Casa Civil do governo Bolsonaro

Ex-deputado federal preside o PSL no Espírito Santo e diz precisar dedicar mais tempo à legenda em ano pré-eleitoral

O ex-deputado federal Carlos Manato
O ex-deputado federal Carlos Manato
Foto: Gazeta Online

Secretário especial para a Câmara Federal, cargo abrigado na Casa Civil, o ex-deputado federal Carlos Manato pode ser mais uma baixa no governo Bolsonaro. Manato preside o PSL no Espírito Santo e diz que precisa se dedicar mais à legenda. Assim, pretende deixar o posto em Brasília.

"Estou querendo voltar para o Estado, para organizar o partido. Deixaria o cargo. Estou conversando com o ministro (Onyx Lorenzoni), vendo isso", contou nesta sexta-feira (07) à reportagem do Gazeta Online.

Leia também

"Tenho que preparar o partido para as eleições (de 2020). Entre nós aqui o PRB e o PSB estão avançando em cima de todo mundo. Se a gente não estiver dialogando...", preocupa-se.

"Fico lá (em Brasília) segunda, terça, quarta, quinta, chego aqui tem o Sebrae também. Está ficando muito cansativo, pesado. Tem eventos durante a semana que não posso ir", afirma. Manato também preside o Sebrae-ES.

"Quero continuar indo lá uma vez por mês, despachar com os ministros, com os quais já fiz amizade. Mas estou pensando seriamente em voltar (ao Espírito Santo). Vou ver se converso com o ministro. Já dei uma primeira conversada, ele pediu para eu ficar mais uns dias, esperar a Comissão da Reforma da Previdência votar. Mas quero já na semana que vem vir de vez", planeja.

> Carlos Manato diz que sai da Casa Civil para o MEC

Ele assumiu o cargo oficialmente em fevereiro, mas o convite foi oficializado ainda em novembro do ano passado. A Casa Civil, no atual governo, passou a contar duas novas secretarias para atender demandas da Câmara e do Senado.

INTERLOCUÇÃO

A função de Manato na Casa Civil é ajudar na interlocução com a Câmara. Tem havido ruído entre o Executivo e os aliados no Congresso e entre os próprios parlamentares, a exemplo do bate-boca entre a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL), e o líder do PSL no Senado, Major Olímpio, na última quarta-feira (05).

> Fora do governo Bolsonaro, Carlos Manato critica ministro Onyx

Mas Manato nega, de pronto, que o desejo de sair da secretaria especial tenha algo a ver com esse e outros entreveros entre colegas. "Isso ocorre por inexperiência (deles). Mas tudo se resolve com diálogo." "Não tem nada a ver não (com a intenção de sair do governo)", garante o ex-deputado.

Manato disputou o governo do Estado, em outubro do ano passado, e ficou em segundo lugar, com pouco mais de 27% dos votos válidos.

Agora o PSL tem planos para as eleições municipais. Entre os nomes de possíveis candidatos estão subtenente Assis, em Cariacica, e o deputado estadual Danilo Bahiense, em Vila Velha. 

Ver comentários